A Secretaria Municipal de Saúde do município Rondonópolis no Mato Grosso registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil, na última quarta-feira, 22, a qual passou a investigar uma suposta fraude praticada por uma empresa de Palmas Tocantins que vendeu respiradores pulmonares para Prefeitura de Rondonópolis.

Os 22 respiradores foram vendidos por R$ 4 milhões.

Segundo a prefeitura, diante da situação da pandemia da Covid-19, adquiriu de uma empresa de Palmas a quantia de 22 aparelhos respiradores pulmonares, em processo de dispensa de licitação.

No contrato ficou estabelecido que o pagamento seria após a entrega dos aparelhos, que ficou marcada para as datas de 16 e 17 de abril, na cidade de Goiânia-GO.

Diante do combinado, uma equipe da Prefeitura de Rondonópolis foi até a cidade goiana para buscar os aparelhos.

Antes de fazer o carregamento, foram feitas fotos dos equipamentos e encaminhadas para a Secretaria de Saúde, sendo demonstrados pelos adesivos que se tratavam dos ventiladores pulmonares.

Com isso, a prefeitura de Rondonópolis efetuou o pagamento, porém, quando os equipamentos chegaram na Unidade de Pronta Atendimento (UPA) foi constatada que eram falsos, pois se tratavam de monitores com aparência de respiradores, sendo colocados adesivos e manuais como sendo de respiradores.

Assim que foi acionada do fato, a equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis, coordenada pelo delegado Santiago Rozeno Sanches, iniciou as diligências, deslocando-se para Palmas, no início da madrugada de quinta-feira, 23.

O responsável pela empresa não foi localizado, porém, foi possível realizar o bloqueio em conta de parte do pagamento realizado pela Prefeitura de Rondonópolis.

Comentários do Facebook