O Ministério Público do Tocantins (MPTO), por meio da 5ª Promotoria de Justiça de Araguaína, requereu, na quinta-feira, 30, que o município de Araguaína preste esclarecimentos sobre a falta de médicos em Unidades Básicas de Saúde da cidade.

A atuação da promotora de Justiça da área da saúde, Araína Cesárea D’Alessandro, foi motivada pela reclamação de uma cidadã que procurou a instituição e relatou ter comparecido à unidade de saúde do setor Cimba, em 21 de maio, em busca de atendimento, ocasião em que foi informada de que não há médico atendendo no local.

Também fundamentou o pedido de informações uma notícia veiculada em site de Araguaína, que relata a recorrente falta de médico na unidade de saúde do setor Costa Esmeralda, informando o caso de uma paciente que precisou remarcar a consulta por três vezes e que continua sem atendimento, por falta de profissional.

A notícia também menciona que o médico lotado na Unidade Básica de Saúde do setor Costa Esmeralda não comparece ao local há cerca de um mês. Sobre este fato, a 5ª Promotoria de Justiça de Araguaína, que possui atuação na área de defesa da saúde, encaminhou a notícia à 6ª Promotoria de Justiça, que atua na área de defesa do patrimônio público, para que apure possível ato de improbidade administrativa referente ao descumprimento da carga horária de trabalho pelo profissional.

O pedido de informações foi realizado no âmbito judicial, em uma Ação Civil Pública relacionada à ineficiência dos serviços de saúde da atenção básica de Araguaína. (Flávio Herculano)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.