Devido ao pequeno efetivo da Polícia Militar em Ananás, o telefone de emergência – 190 – está funcionando precariamente, isto porque ao saírem para as rondas policiais, o posto fica vazio e o telefone permanece por longos períodos sem atendimento. A Defensoria Pública pediu providências imediatas à Secretaria de Segurança Pública do Tocantins nesta terça-feira, 4.

Conforme relataram os Assistidos, não há um atendente exclusivo para prestar o serviço, sendo realizado pelos mesmos policiais que precisam realizar a ronda. Assim, caso necessitem da presença policial os moradores ligam para os celulares dos militares.

“Considerando que o número 190 é de notória utilidade pública e natureza emergencial, devendo ser prestado gratuitamente, a falha em tal serviço pode causar riscos à integridade física dos cidadãos”, presumiu a defensora pública Isabella Faustino Alves.

(Keliane Vale)

 

Comentários do Facebook