Adolescente confessa crime por ritual de facção criminosa, corpo foi encontrado na Ilha São Vicente, em Araguatins

A Polícia Civil do Tocantins, por meio de uma ação conjunta com a Polícia Militar, deflagrou, nesta quarta-feira, 2, em Araguatins a operação “Linha de frente”. O objetivo foi dar cumprimento a um mandado de internação de um adolescente de 17 anos de idade, que é suspeito de ser o autor de vários atos infracionais análogos a tráfico de drogas, e furtos a residências.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Coordenada pelo delegado-chefe da 1ª Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher e Vulneráveis (1ª DEAM-V) de Araguatins, Eduardo Morais Artiaga, a operação Linha de Frente deflagrada nesta quarta-feira já estava sendo realizada pelas equipes da unidade especializada há algumas semanas devido aos fortes indícios levantados e que apontavam o adolescente infrator com sendo o autor dos atos infracionais mencionados.

Desse modo, foi representado junto ao Poder Judiciário por sua internação, sendo que o pedido da Polícia Civil foi deferido e autorizado pelo Juízo da Vara da Família, Sucessões e da Infância e Adolescência de Araguatins.

A autoridade policial asseverou que na ocasião da apreensão foi localizado em poder do menor seis envelopes de cocaína, seis envelopes de crack, mais uma porção de cocaína que seria fracionada, além da quantia de R$ 395 reais, em dinheiro oriundo da comercialização de entorpecentes.

Ao ser ouvido pela autoridade policial, o adolescente confessou que também é o autor do homicídio do corpo encontrado no dia 17 de novembro de 2020, na Ilha São Vicente, no município de Araguatins, cadáver que encontrava-se em avançado estado de decomposição.

Apurou-se ainda que o homicídio foi motivado em virtude do batizado do referido adolescente em uma facção criminosa, que tem suas lideranças na capital maranhense e ramificações em Imperatriz-MA. Após a realização das providências legais cabíveis, o menor será recolhido ao um dos centros de Internação para Menores Infratores do Estado.

O delegado Eduardo Artiaga esclarece que a operação teve origem devido ao grande fluxo de processos envolvendo menores em Araguatins, sendo que, com o caso de hoje, sobe para cinco o número de adolescentes infratores apreendidos pela Polícia Civil na cidade. (Rogério de Oliveira)

Comentários do Facebook