Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) alerta que o produtor que vacinou os bovídeos (bovinos e bubalinos) de 0 a 24 meses de idade contra febre aftosa precisa comprovar o ato nas unidades do órgão até o dia 10 de dezembro. Para tanto, é preciso levar a nota fiscal da compra da vacina e a carta-aviso preenchida. Na campanha que ocorreu de 1º a 30 de novembro, a estimativa era vacinar cerca de 4 milhões de animais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vale ressaltar que para aqueles que não têm bovídeos na faixa etária indicada na campanha, também precisam declarar os animais adultos, inclusive de outras espécies. O Estado conta com mais de 56,4 mil pecuaristas vinculados à exploração pecuária.

O responsável pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa, João Eduardo Pires, afirma que o balanço da campanha até o momento é bastante positivo. “Já ultrapassamos 95% de cobertura vacinal, estimamos que após o encerramento esse número possa chegar a um valor próximo de 100%, pois sabemos que boa parte dos produtores já adquiriu a vacina, mas ainda não vieram declarar nos escritórios”, disse.

O produtor rural, Gilcélio Nunes da Silva, da Fazenda Floresta, localizada no município de Porto Nacional, sabe da importância de vacinar e comprovar para garantir a saúde do animal e evitar transtornos. “Toda campanha cumpro minha obrigação porque sei que é necessário para o Estado manter o rebanho saudável para continuar seu crescimento. É bom pra todo mundo”, ressalta.

A multa para o produtor rural que deixar de vacinar a multa é de R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada, além de outras sanções

Comentários do Facebook