Com o objetivo de dar cumprimento a mandados de busca e apreensão em residências ocupadas por pessoas suspeitas de integrarem uma associação criminosa responsável pela prática de tráfico de drogas, homicídios e posse ilegal de arma de fogo entre outros, a Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da 103ª Delegacia de Taguatinga, deflagrou nesta quarta-feira, 25, naquela cidade e também em Ponte Alta do Bom Jesus, a operação “Mãos Amigas”. Durante a operação foram efetuadas quatro prisões, três homens e uma mulher, e apreendido um menor de idade. Um dos presos pagou fiança e responderá em liberdade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Coordenada pelo delegado-chefe da 103ª DP de Taguatinga, Eduardo Ferreira Nunes, a ação teve o apoio do Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), Unidade de Elite da Polícia Civil; de policiais militares da 1ª Companhia Independente de Polícia Militar de Arraias (CIPM), por meio da COD – Companhia de Operações de Divisas; e da Polícia Penal. Segundo o delegado Eduardo Nunes, as investigações da operação Mãos Amigas têm sido realizadas ao longo das últimas semanas quando os policiais civis da 103ª DP mapearam e identificaram pessoas que estariam envolvidas no cometimento em uma série de delitos nas duas cidades.

“Nossas investigações revelaram que algumas pessoas de outras localidades vieram para Taguatinga onde se associaram a indivíduos da cidade e também de Ponte Alta e passaram a cometer uma série de delitos nos dois municípios”, disse a autoridade policial. Desse modo, com base nas investigações, os policiais civis identificaram os imóveis que estariam servindo como ponto de apoio aos criminosos, sendo que a autoridade policial representou junto ao Poder Judiciário por mandados de busca e apreensão em vários endereços onde os suspeitos residem e, supostamente, orquestravam seus crimes.

De posse das ordens judiciais, os policiais civis, militares e penais foram até as residências localizadas na cidade de Taguatinga e também Ponte Alta do Bom Jesus. Após buscas realizadas em um dos imóveis, foram encontradas porções de drogas, além um revólver de fabricação artesanal de calibre 22, que estavam em poder de um indivíduo de 18 anos, o qual foi preso e atuado pelos crimes de tráfico de drogas, posse ilegal de arma de fogo, além de corrupção de menores, uma vez que um adolescente de 16 anos estava morando na casa e também foi autuado por ato infracional análogo ao crime de tráfico de drogas.

Em seguida, os agentes se dirigiram até outra residência, onde efetuaram a prisão de um homem de 27 anos de idade, pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, bem como posse ilegal de arma de fogo, uma vez que no local, os policiais civis apreenderam drogas, insumos para embalar entorpecentes, além de um revólver de fabricação artesanal, calibre 22, e munições do mesmo calibre. Na mesma residência, os policiais civis também prenderam uma mulher de 38 anos de idade, companheira do suspeito que foi presa e autuada por posse ilegal de arma de fogo e associação criminosa.

Com o aprofundamento das investigações, já na sede da 103ª DP, os policiais civis, após levantamentos, descobriram a existência de um mandado de prisão preventiva, por tráfico de drogas, oriundo da Comarca de Goiânia, em desfavor do homem de 27 anos e cumpriram a ordem de prisão.

Seguindo com as buscas, os policiais civis também efetuaram a prisão em flagrante de um homem, de 20 anos de idade, pelo crime de posse ilegal de arma de fogo. No entanto, ele recolheu aos cofres públicos a quantia arbitrada como fiança pela autoridade policial e, assim, obteve o direito de responder ao processo em liberdade. Após a realização das providências legais cabíveis, os demais presos foram recolhidos à Cadeia Pública de Taguatinga, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Anotações

Durante as ações policiais, também foram apreendidas anotações com a contabilidade do tráfico, bem como, dezenas de comprovantes de depósitos bancários, possivelmente, oriundos do tráfico de drogas.

Para o delegado-chefe da 103ª DP, Eduardo Ferreira Nunes, a operação Mãos Amigas atingiu os objetivos pré-estabelecidos, uma vez que foram feitas, apreensões de drogas, armas de fogo, aparelhos celulares, insumos para preparar entorpecentes, bem como foram efetuadas várias prisões.

“A operação Mãos Amigas, realizada em Taguatinga e Ponte Alta do Bom Jesus foi exitosa, uma vez que, que vários tipos de crimes vêm acontecendo nos dois municípios e, através das investigações, conseguimos identificar alguns pontos que estavam sendo utilizados pelos investigados e, por meio da ação realizada hoje, efetuamos a detenção de cinco pessoas que são suspeitas de envolvimento na prática de vários tipos de ilícitos tais como homicídios, tráfico de drogas, associação criminosa. Dessa forma, as prisões e apreensões realizadas nesta quarta-feira, subsidiarão as investigações que já estão em andamento na 103ª DP”, explicou a autoridade policial.

Integrada

Para o delegado-chefe da 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Dianópolis, Rafael Santos e Silva, a qual a 103ª DP está vinculada, a realização da operação Mãos Amigas foi muito importante para demonstrar para a população de Taguatinga que a Polícia Civil e as demais forças de segurança atuam de forma integrada na repressão aos crimes que têm ocorrido de forma constante na cidade, sejam aqueles de tráfico de drogas, dolosos contra a vida e posse de arma de fogo.

“Essa atuação conjunta das forças de segurança traz uma maior efetividade para o resultado das investigações que estão sob o comando dos delegados Eduardo Nunes e Márcio Duarte Teixeira, na 103ª DP e certamente impulsionará os inquéritos que já instaurados e que motivaram os pedidos de buscas feitos pela autoridade policial. Como fruto dessa integração, a população só tem a ganhar”, frisou o delegado-regional.

Mãos Amigas

O nome da operação foi escolhido para dar ênfase à integração das forças de segurança que estão unidas no sudeste e em todo o estado do Tocantins para dar combate ao crime organizado e trazer mais paz e tranquilidade aos cidadãos do Tocantins.

Comentários do Facebook