Delegacia de Guaraí

Uma ação integrada de combate à criminalidade deflagrada pela Polícia Civil, por intermédio da 5ª Divisão Especializada de Combate ao Crime Organizado (5ª DEIC), 47ª e 48ª DPs de Guaraí, com apoio de agentes da Casa de Prisão Provisória e também da Vigilância Sanitária Municipal de Guaraí, na manhã desta quarta-feira, 25, resultou no fechamento de um bar situado na Avenida Pernambuco, nas proximidades da Unidade Prisional, que era utilizado como fachada para o comércio de entorpecentes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Comandada pelo delegado-regional Adriano Carrasco dos Santos, ainda durante a ação foram presos um indivíduo de 27 anos, por crime de porte ilegal de arma de fogo e dado cumprimento a mandado de prisão preventiva contra o mesmo por tráfico de drogas, além de um indivíduo de 19 anos por crime de organização criminosa, bem como uma mulher de 27 anos, também conhecida como “Colombiana” por crime de tráfico de drogas.

Em continuidade as ações, os policiais apreenderam dois adolescentes, de 14 e 17 anos, por ato infracional análogo a crime de tráfico de drogas. Conforme explica o delegado Adriano, a ação foi desencadeada após o recebimento de várias denúncias informando que o estabelecimento era um bar de fachada, utilizado por membros de uma facção criminosa para o comércio de drogas.

“Passamos a monitorar as atividades do local e, na manhã de hoje, nos deslocamos até o bar onde flagramos uma intensa movimentação de pessoas em atitudes suspeitas, momento em que iniciamos as abordagens e buscas, disse o Delegado.

Com os presos, foram apreendidas porções de drogas, uma arma de fogo de fabricação caseira, certa quantia em dinheiro, bem como telefones celulares. “Além dos crimes lá praticados, o bar não possuía nenhuma autorização para funcionamento, motivo pelo qual foi lacrado pelas autoridades de vigilância sanitária”, frisou o delegado Carrasco.

Após os procedimentos legais cabíveis, os presos foram encaminhados à Casa de Prisão Provisória de Guaraí e à Cadeia Pública Feminina de Pedro Afonso, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário local. Os adolescentes foram entregues aos responsáveis em respeito às normas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Comentários do Facebook