Lombofaixas são instaladas na Via Lago em Araguaína para acessibilidade e redução de velocidade

A Prefeitura de Araguaína está instalando lombofaixas na Via Lago e em alguns trechos já está sendo garantida a acessibilidade e o controle de velocidade. Ao todo, serão onze pontos nos quais os pedestres poderão atravessar com mais segurança entre as pistas e canteiros, além de servir como rampa do estacionamento para o calçadão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A altura da faixa elevada e a inclinação das rampas foram dimensionadas para que o dispositivo sirva como um redutor de velocidade e também como uma rampa de acessibilidade, permitindo o acesso do estacionamento ao calçadão e vice-versa. Assim, a inclinação máxima das rampas é de 8,33%, como prevê a NBR 9050”, explicou o diretor de Engenharia e Planejamento da Agência Municipal de Segurança, Transporte e Trânsito (ASTT), Caio Augusto Lobo.

A velocidade máxima na Via Lago é de 40 km/h no trecho que vai da Avenida Filadélfia até o fim do calçadão, onde passa a ser de 50 km/h até o Complexo Esportivo. Após a finalização do projeto, será reduzida para 30 km/h nas proximidades das faixas elevadas. “É uma via arterial da cidade, mas com grande fluxo de pedestres e ciclistas, que são os mais vulneráveis no trânsito, por isso é necessário obrigar que os motoristas reduzam a velocidade a menos de 30 km/h, que é uma velocidade segura para todos”, detalhou Caio.

Luciano Souza, 25 anos, que é morador do Parque do Lago, passa todos os dias pela via para ir ao Centro trabalhar e reconheceu que a estrutura trouxe mais segurança ao local. “É um local em que muitas pessoas vêm no final de semana e Às vezes o pessoal passa por aqui muito rápido. Agora será obrigado a diminuir”, afirmou.

O aumento da segurança trazido pela construção da lombofaixas também foi percebido por Sebastião Lima, 73 anos. “Eu caminho aqui desde que a Via Lago foi construída e sentia falta disso, principalmente na região do calçadão, onde ficavam muitas crianças correndo nos finais de semana”, relatou. (Marcelo Martin)

Comentários do Facebook