Protesto com faixas e cartazes cobravam a presença do prefeito Fabion Gomes e pediam explicação sobre o projeto de habitação do município
Protesto com faixas e cartazes cobravam a presença do prefeito Fabion Gomes e pediam explicação sobre o projeto de habitação do município
Protesto com faixas e cartazes cobravam a presença do prefeito Fabion Gomes e pediam explicação sobre o projeto de habitação do município

Na última sexta 15, um grupo de moradores do povoado Olho D’água zona rural de Tocantinópolis interditaram a estrada de acesso ao aeroporto para protestar contra a demora na construção de casas populares do Programa Minha Casa Minha Vida. Com faixas e cartazes eles cobravam a presença do prefeito Fabion Gomes e pediam explicação sobre o projeto de habitação do município.

O prefeito havia passado no local para recepcionar o Secretário de Assuntos Institucionais do Governo do Estado do Tocantins Eduardo Siqueira Campos que estava chegando à cidade para participar de solenidades de inauguração de Mercado Público e fazer entrega de 25 tratores com implementos agrícolas para produtores rurais do Bico do Papagaio.

No retorno para a cidade uma viatura da Polícia Militar que fazia batedor para o carro do prefeito onde estava o Chefe do Executivo Municipal e o Secretário de Estado teve de parar por causa do bloqueio. Os manifestantes disseram para os PMS que só desobstruíam a passagem para a carreata passar, caso o prefeito Fabion Gomes descesse do carro para conversar com eles. Fabion atendeu ao pedido dos líderes do movimento e foi conversar com eles. Entre os pedidos feitos ao prefeito agilidade no início da construção de casas populares no povoado ou a devolução de dinheiro pago ao cartório de imóveis pela legalização de lotes onde as casas devem ser construídas. Fabion disse a eles que é uma questão de tempo e que aguardassem o fim da burocracia, explicando que não depende só da prefeitura e sim do Governo Federal para que as casas sejam construídas.

Depois de ouvir o prefeito parte do grupo formado por homens, mulheres e até crianças insistia em ficar no local e se recusaram em desocupar a estrada. A polícia pediu que o prefeito se retirasse e um grupo de homens que estava na carreata fizeram a desobstrução da pista. Um manifestante ainda arremessou um galho de árvore no carro do prefeito e foi perseguido pela polícia, mas, não foi preso.

Comentários do Facebook