procedimentos estéticos

Procedimentos estéticos como harmonização facial, uso de toxina botulínica, preenchimento labial são algumas alternativas oferecidas pela Medicina atual que podem ser utilizadas por quem quer desacelerar o envelhecimento.

Novas técnicas e tratamentos são atualmente opções reais para quem quer manter uma pele jovem sem grandes intervenções cirúrgicas ou até mesmo um cabelo saudável e bonito.

O problema é que devido à grande quantidade de publicidade sobre os benefícios da utilização da tecnologia para melhorar a aparência que o mercado oferece, é necessário redobrar os cuidados na hora de escolher o profissional e o estabelecimento que vão se incumbir do processo.

Com tantas novidades checar as credenciais dos médicos ou profissionais responsáveis pelo procedimento escolhido é essencial para não transformar a esperança de uma mudança positiva em um problema.

Esse foi justamente o caso da servidora pública Etyene Lucena. De acordo com a entrevistada, ao perceber uma queda de cabelo excessiva, ela resolveu procurar um salão de cabeleireiro atrás de dicas para o tratamento. O problema foi que a indicação para minimizar a queda causou efeito reverso, e irritou ainda mais o couro cabeludo.

“Meu cabelo estava bem ralo. Fui a um salão e conversando com a cabeleireira ela me passou seis sessões de um procedimento que ela disse que era totalmente natural. A partir da segunda sessão meu couro cabeludo ficou super irritado, vermelho. Pensei que fosse coisa de momento e estendi até a quinta sessão, mas não tive resultado e ainda desenvolvi uma alergia. Vou ter que procurar um médico para resolver o problema, porque não sarou completamente”, conta.

Muitas vezes, a falta de experiência ou conhecimento do paciente sobre o procedimento também pode ser um problema. Segundo a médica dermatologista Raquel Amashta é importante conscientizar a população sobre a necessidade de escolher profissionais qualificados na hora de realizar qualquer tipo de procedimento.

“A área da dermatologia tem sido pioneira em procedimentos como botox e preenchimento. Mas hoje tem outros profissionais que tem feito isso. Eu gosto de lembrar que toda vez que as pessoas fazem qualquer procedimento elas correm riscos que vão de necroses, cegueira, além de complicações estéticas. São processos complexos. Então é indispensável optar por quem tem qualificação para reverter qualquer problema que ocorra”, pondera.

Para tratar cicatrizes de acne no rosto, a professora de inglês Lia Sousa conta que decidiu fazer quatro sessões de microagulhamento, um procedimento dermatológico em que diversas agulhas bem pequenas perfuram as camadas da pele para estimular a produção de colágeno. Porém, ainda na terceira sessão o tratamento apresentou problemas.

“Nas sessões é aplicado um ácido depois do procedimento, em locais onde as cicatrizes estavam mais proeminentes. Na terceira sessão o ácido foi aplicado antes e ele formou crateras na minha pele. Corroeu mesmo. Quando voltei ao consultório a médica descobriu junto ao laboratório que o problema era o ácido utilizado. A médica reverteu o procedimento fazendo novas sessões e aos poucos a pele foi voltando ao normal. Ainda está melhorando. Na época fiquei bem chateada, não fui culpa da médica, mas culpa do laboratório. Não era algo que poderia ser previsto, mas aconteceu”, relatou.

Segundo Raquel, os casos de complicação em procedimentos estéticos estão aumentando. A médica contou que, por conta da demanda, só este ano, já fez mais de nove cursos e atualizações voltadas para a correção de complicações.

“A partir do momento que você preenche, por exemplo, você está sujeito a ter uma complicação. Isso nunca aconteceu comigo, mas estamos todos sujeitos. É importante que o profissional saiba agir rápido para conseguir reverter isso nos primeiros minutos. Muitos profissionais fazem cursos de fim de semana e começam a realizar procedimentos complexos. Isso é sério e causa risco para a população”, pontua.

Raquel, que integra a Sociedade Brasileira de Dermatologia no Tocantins, informou que a entidade vem recebendo muitas denúncias de procedimentos que resultaram em complicações para os pacientes.

“Em Palmas temos pacientes em tratamento sério. Por isso a população precisa ter essa consciência do que está acontecendo e escolher um profissional qualificado para evitar estes riscos”, finaliza.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.