A senadora Katia Abreu (PDT-TO) protocolou no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) um pedido de remoção do procurador Deltan Dallagnol do cargo de coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Ela defende a proposta como forma de proteger os trabalhos da operação. A informação é de Daniela Lima, na Folha de S.Paulo.

“Cumpre desde logo esclarecer que o presente pedido de remoção por interesse público não representa um ato de hostilidade à operação Lava Jato, mas sim uma medida que busca atender ao interesse público e conferir credibilidade à persecução penal conduzida pela força-tarefa”, escreve a parlamentar na representação.

Katia Abreu faz ainda referências ao uso do cargo por Deltan para obter vantagens como a realização de palestras remuneradas e a tentativa de criar uma fundação para a Lava Jato com dinheiro recuperado da Petrobras, proposta que foi barrada no Supremo Tribunal Federal pelo ministro Alexandre de Moraes.

“A remoção a bem do interesse público visa essencialmente resguardar as condições de atuação minimamente isenta do Ministério Público enquanto instituição”, prossegue a senadora.

“Se, por qualquer motivo, um de seus membros vier a perder tais condições, a remoção é uma das medidas jurídicas possíveis para restauração da credibilidade institucional”, pontua.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.