Presos da Cadeia de Formoso do Araguaia são imunizados contra Febre Amarela, Hepatite B, Sarampo de H1N1

Atuando preventivamente, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) vacinou, nesta quarta-feira, 02, as pessoas privadas de liberdade da Cadeia Pública de Formoso do Araguaia, no Sudoeste do Estado. Cumprindo calendário de cuidados da unidade, a ação que foi desenvolvida em parceria com a Unidade Básica de Saúde do município, imunizou 40 custodiados e servidores da unidade penal contra Febre amarela, Hepatite B, Sarampo e H1N1.

As pessoas privadas de liberdade estão inseridas no grupo prioritário de imunização em campanhas de vacinação, e a iniciativa segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), que faz essa orientação de acordo com o ambiente que os reeducandos residem.

A Gerente de Assistência Educacional e Saúde ao Preso e Egresso do Sistema Penitenciário e Prisional do Tocantins (Sispen/TO), Marluce Oliveira, destacou a importância da manutenção dos serviços de saúde nas unidades. “Garantir a cobertura vacinal por humanização de 100% da população privada de liberdade e dos servidores, é de suma importância, pois o ambiente de cárcere, em sua natureza confinatória, amplia os problemas ligados à saúde. Assim, trabalharemos com a prevenção, pois ela é uma prioridade”, disse.

Segundo o diretor na unidade penal de Formoso do Araguaia, Miller Azevedo, a ação que se deu por meio da parceria entre o Governo do Estado e o Município. Os custodiados foram atendidos seguindo todos os protocolos de segurança para a prevenção à Covid-19. “Todo o atendimento foi feito de forma a garantir a segurança dos presos e da equipe prestadora do serviço. Todos paramentados com Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), álcool em gel, distanciamento físico e com atendimento em local adequado”, explicou.

O reeducando R.M.C, de 30 anos, foi um dos presos que recebeu a imunização. “Eu só tenho a agradecer tudo isso que estão fazendo pela gente porque mostra que a Secretaria está preocupada com os nossos direitos. Foi muito significante”, concluiu.

Comentários do Facebook