Reunidos PT, PCdoB e PV, homologaram o nome de Paulo Mourão para a disputa ao governo do Tocantins pela Federação Brasil da Esperança – Fé Brasil. Lideranças e militantes das siglas se reuniram nesta quinta-feira, 04, no auditório da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), na Avenida Theotônio Segurado em Palmas onde definiram ainda, que os nomes para a vice-governadoria e para o Senado serão definidos e divulgados nesta sexta-feira, 05, após reunião da Comissão Executiva da Federação no Tocantins.

Com a homologação nome de Paulo Mourão para o governo, os partidos federados seguem na chapa majoritária com apoio à eleição de Lula presidente e apresentam uma chapa proporcional com 25 nomes para deputados e deputadas estaduais (16 PT; 05 PCdoB; 04 PV) e nove nomes para deputados e deputadas federais (05 PT, 02 PV, 02 PCdoB), que compõem a força tarefa para a derrubada do fascismo e a retomada da democracia e do desenvolvimento inclusivo do Brasil e também no Tocantins.

Paulo Mourão falou dos seus sonhos quando viu o Tocantins começar. “Sonhei em ter um estado em que os fundamentos fossem respeitados, a cidadania, o desenvolvimento, sonhei ver o pobre com espaço para trabalhar, sonhei em ver um estado com oportunidade para todos e todas, sonhei ver a oportunidade para o filho do rico ser a mesma para o filho do pobre e na criação eu disse que queria começar por onde eu ia ajudar mais o povo”, destacou Mourão.

Eleito quatro vezes deputado federal, Paulo Mourão lembrou do Projeto de Lei para criação da Universidade Federal do Tocantins (UFT), de sua autoria, da emenda que garantiu a construção do Hospital Geral de Palmas (HGP), bem como as que garantiram a reforma do Instituto Federal de Tecnologia (IFTO) em Palmas e construção em Porto Nacional, Paraíso, Pedro Afonso e Colinas e destacou a importância de cuidar das pessoas garantindo educação, casa, trabalho, uma vida digna para as pessoas.

“Agora nós vivemos e eu falei com Lula, andando pelo Tocantins, ouvimos as pessoas falando da dificuldade da vida, perguntam porque os governadores não terminam mandatos, chegam no posto não tem remédio, anos esperando cirurgia, câncer de mama e outros sem tratamento. E eu pergunto o porquê isso está acontecendo? Porque os políticos não trabalham pelo nosso povo? Somos 1,6 milhão de pessoas; 93 mil pessoas ganham 258 reais por mês, 495 mil ganham 450 reais por mês e por isso temos, todos, que assumir o compromisso e trabalhar. Chega de arranjos políticos para crescimento individual, é preciso valorizar as pessoas, o eleitor e a eleitora precisam ter vez”, destacou.

Apoio

O ex-governador do Piauí e pré-candidato ao senado no seu estado, Wellington Dias (PT), marcou presença na convenção e pontuou que “esta é a eleição das eleições”. Ele lembrou a trajetória de Lula, que deixou o governo com 87% de aprovação, com a primeira mulher presidenta eleita e um país com pessoas felizes. “E aí fizeram o que?, tiraram a presidenta Dilma e naquela ocasião viram que tinham que prender o Lula e fizeram a maior mentira da história desse país”, explicou Dias ao destacar sua fé na retomada do respeito às pessoas.

“Acredito na possibilidade de vencer as eleições e ajudar a reconstruir o nosso país.

Aqui vemos líderes de vários partidos em coligação ou não é isso acontece em vários lugares, líderes que têm divergência no município, estado ou nacional mas estão dando as mãos pelo Brasil.  Isso aqui é mais que uma convenção,  mais que uma eleição, e vamos vencer pelo Brasil é no primeiro turno das eleições”, conclamou Wellington Dias.

Os presidentes do PT, Zé Roberto Lula, do PCdoB, Carlos Benevides, do PV Marcelo Lelis, do Rede, Fábio Ribeiro, bem como o senador Irajá estiveram presentes na convenção, que contou ainda com a presença das deputadas estaduais Luana Ribeiro (PCdoB), Claudia Lelis (PV) e Amália Santana (PT). O deputado estadual Ivory de Lira (PCdoB) e o deputado federal, Célio Moura (PT), também marcaram presença, além de lideranças Derval de Paiva e Raul Filho.

Os prefeitos de Dianópolis, José Salomão, de São Salvador, Edmar da Construção, de Porto Nacional, Ronivon Maciel, também participaram da convenção, que teve a participação de militantes dos partidos de mais de 80 municípios do Tocantins. (Fábio Coêlho)

Comentários do Facebook