Unidade de saúde que não funciona em Colinas
Unidade de saúde que não funciona em Colinas

Cinco unidades de saúde foram inauguradas em dezembro de 2016 em Colinas, no norte do Tocantins, mas até hoje não começaram a funcionar. Enquanto os prédios seguem fechados, o atendimento de saúde básica na cidade é feito em imóveis alugados pela prefeitura. Em pelo menos dois deles, há rachaduras pelas paredes das salas e até pelo teto.

A prefeitura da cidade afirma que a situação foi causada por problemas nos projetos e na documentação das unidades, que foram construídas em uma gestão anterior. Em cada obra foram gastos cerca de R$ 400 mil. O valor total chega a R$ 2,4 milhões para os seis prédios que ainda não atenderam ninguém. Além disso, o gasto mensal com os aluguéis das casas que servem de postinho atualmente é de R$ 5,8 mil.

Quem precisa de atendimento, reclama da situação dos postinhos da cidade. “É perigoso desabar, não é? Machucar alguém”, comenta a diarista Adriana dos Santos. Mesmo quem ainda não precisou ser atendido fica indignado com o desperdício de dinheiro. “Botar isso aí para quê? Pra juntar muriçoca? Cobra? Juntar dengue?”, questiona a lavradora Luíza Rodrigues, que mora ao lado de uma das unidades.

O secretário de saúde, Francisco de Barros Neto, diz que a prefeitura se esforça para resolver os problemas das obras e que pretende entregar três das unidades nos próximos meses. As outras ainda não têm prazo para começar a funcionar. (G1)

Comentários do Facebook