Prisão / Foto: PM

Em sessão do Tribunal do Júri realizada nesta terça-feira, 02, na comarca de Miranorte, o Ministério Público do Tocantins (MPTO) obteve a condenação de Cleomar Lima Parrião a 14 anos e três meses de reclusão, pelo homicídio qualificado de Beny Honório Dias.

O crime ocorreu em 2005, em Miranorte, quando Cleomar, na companhia do irmão Cleoni Parrião, após consumir bebidas alcoólicas em um bar da cidade, disparou contra a vítima, impossibilitando qualquer defesa por parte dela. O motivo do desentendimento teria sido uma briga entre familiares ocorrida dois anos antes.

Durante o julgamento, o promotor de Justiça Breno de Oliveira Simonassi sustentou, com êxito, perante o conselho de sentença, a autoria e a materialidade do crime, bem como a qualificadora de uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Na dosagem da pena, o magistrado considerou a existência de duas causas de diminuição da pena: o fato de o crime ter sido cometido sob domínio de violenta emoção, após provocação injusta da vítima e perturbação da saúde mental de Cleomar, que não estava em pleno domínio de suas faculdades mentais, reduzindo a dosimetria para quatro anos e nove meses de reclusão.

Absolvição 

O júri também julgou Cleoni Parrião, mas ele foi absolvido por falta de provas de sua autoria.

Comentários do Facebook
Artigo anteriorArmazém Paraíba construirá centro de logística em Araguaína
Próximo artigoEm Dianópolis, Republicanos inicia projeto para construção do plano de governo do pré-candidato a prefeito, Jailton Bezerra