Foto: Governo do Tocantins

Comparativamente com os demais estados da Federação, o Tocantins foi o 6° estado que mais preservou os empregos formais durante a pandemia do novo Coronavírus, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério da Economia. No período, o acumulado de janeiro a maio de 2020, a variação relativa do saldo de empregos no Tocantins foi de -1,17% sendo superado apenas pelos estados de Mato Grosso do Sul -0,26%; Mato Grosso -0,28%; Goiás -0,59%; Roraima -0,59% e Maranhão com -1,12.

Em todo o Estado do Tocantins, foram 3.617 admissões contra 4.726 desligamentos, deixando um saldo negativo de 1.109 trabalhadores fora do mercado formal de trabalho. O município que mais contribuiu para o resultado negativo do Estado, foi a capital Palmas com 94,04% do total, ou seja, 1.043 postos de trabalhos a menos. O saldo é a diferença entre número de admissões menos os desligamentos em um determinado período, apesar de negativo quando comparado com o mês anterior, os dados apontam uma tendência de recuperação do emprego.

No Tocantins, a construção civil, a indústria e a agropecuária apresentaram os melhores desempenhos dentre os setores analisados, com saldo positivo de 449, 103, 13 contratações respectivamente. A queda foi puxada pelo impacto da crise nos setores do comércio e serviços que registraram queda no emprego formal de 767 e 907 respectivamente.

Dentre os 1.109 trabalhadores desligados no mês de maio de 2020, os jovens na faixa etária entre 18 e 29 anos foram os mais atingidos, representando 60,14% ou 667 dos desligamentos, do total 76,28% ou 846 tinham escolaridade ensino médio, 314 são homens e 795 mulheres.

Segundo o Caged, em todo o País, foram fechados 331.901 postos de trabalho com carteira assinada no mês de maio. Foi o pior desempenho para o mês desde o início da série histórica, em 2010. Em relação a abril, que registrou menos 902.841 vagas, o número melhorou. Com o resultado de maio, o corte de vagas acumulado no ano de 2020 soma 1.144.875, o pior desempenho para o período também desde 2010.

Para o secretário de Estado da Indústria, Comércio e Serviços (SICS) e presidente da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), Tom Lyra, ainda que os números não sejam motivo de comemoração, o indicativo de recuperação demostra que as medidas de enfrentamento da crise do novo Coronavírus, tomadas pelo Governo do Estado, foram assertivas e de alguma forma contribuíram para minimizar os efeitos da crise no Tocantins. Além disso, a economia do Estado está voltada para o agronegócio, um dos setores menos impactados pela pandemia.

“Conforme demonstrado pelo desempenho dos números do Caged, o Tocantins figura na sexta posição entre os estados que mais preservaram empregos durante a crise da Covid-19, e o governador Mauro Carlesse está empenhado em adotar medidas para a retomada da nossa economia, na intenção de garantir a manutenção do emprego e da renda dos trabalhadores tocantinenses”, afirma Tom Lyra.

Comentários do Facebook