Polícia concluiu inquérito que apurava crimes de violência doméstica contra mulher na cidade de Itacajá

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Itacajá, concluiu  inquérito que apurava crimes de violência doméstica contra mulher na cidade de Itacajá.

Conforme foi apurado pela Polícia Civil local, no dia 21 de março, R. C. J. K. estava fazendo uso de bebida alcoólica em um bar, na companhia de sua esposa, no entanto, a mulher decidiu ir embora mais cedo. Após a chegada marido em casa, testemunhas ouviram  o casal discutindo e a mulher gritando por socorro. Populares socorreram a vítima, que apresentava sangue nas costas, na região das costelas. A mulher também estava com os cabelos cortados de forma desalinhada.

A mulher foi levada até o hospital municipal de Itacajá, mas em razão da gravidade dos ferimentos, foi encaminhada ao Hospital Regional de Araguaína, onde então ligou para sua mãe e afirmou que fora agredida por seu marido e que estava no pronto socorro. A família dela, sabendo que ela estava grávida, acionou a polícia rapidamente.

Ao tomar conhecimento dos fatos, a autoridade policial solicitou apoio aos policiais de Araguaína, os quais imediatamente se dirigiram até o Hospital para realizar diligências preliminares. O autor já estava no Hospital e, por isso, a vítima passou a negar a violência sofrida, para impedir a prisão em flagrante delito. Ela alegou que caiu em cima de um canivete. Por sua vez, o suspeito afirmou que lesionou a vítima, mas que teria feito apenas uma “brincadeira” com sua esposa.

Mesmo contra a vontade da vítima, e por se tratarem de crimes ocorridos no contexto da violência doméstica e familiar contra a mulher, os fatos foram apurados pela Polícia e confirmados por provas testemunhais e periciais, dentre outras.

Concluído o inquérito, R. C. J. K. foi indiciado pela Polícia Civil em razão da prática dos crimes de lesão corporal e feminicídio tentado.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.