O Ibope Inteligência inicia neste domingo, 21, a terceira e última fase da pesquisa para mapear o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no Brasil, mesmo as que não têm sintomas. O trabalho está sendo desenvolvido em 133 municípios brasileiros. No Tocantins, foram selecionados Araguaína, Palmas e Gurupi.

Financiado pelo Ministério da Saúde, o estudo é coordenado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e executado pelo Ibope por meio da Sirius Pesquisa. O objetivo é medir o nível de imunização da população brasileira ao novo coronavírus e identificar a forma de propagação do vírus pelo País. Com isso, será possível traçar estratégias de enfrentamento à infecção pela covid-19 no país.

Os pesquisadores realizarão as entrevistas até terça-feira, dia 23, visitando 20 localidades da cidade, cada uma com 10 endereços, totalizando 200 casas visitadas. Todos os entrevistadores são testados antes e durante o período de permanência na cidade e só aqueles que têm resultado negativo para a doença são considerados aptos ao contato com os moradores.

Entre os setores pré-selecionados estão Planalto, Céu Azul, Flamboyant, Dom Orione, Ana Maria, Centro, Rodoviário, Senador, Tocantins, Noroeste, Brasil, Barra da Grota, São Miguel, Bom Viver, Araguaína Sul, São João, Vila Norte, Setor Urbano e Vila Couto Magalhães.

Etapas anteriores

Na primeira etapa da pesquisa, realizada entre 14 e 16 de maio, foram realizadas 238 entrevistas, nenhum dos entrevistados testou positivo para a doença. Duas semanas depois, no período de 4 a 7 de junho foi realizada a segunda etapa, nas 200 entrevistas feitas em Araguaína, duas pessoas testaram positivo para a covid-19.

Segurança

As visitas são realizadas por duplas de entrevistadores, devidamente identificados com crachás da empresa Sirius Pesquisa e Ibope, camisetas com a identidade visual das empresas, além do uso de equipamentos de proteção individual (EPI), como luvas, máscaras descartáveis, sapatilhas descartáveis, aventais descartáveis e óculos de proteção.

Além disso, terão em mãos frascos de álcool em gel, sacos de lixo infectante e caixas de descarte de materiais hospitalares. Todos os profissionais passaram pelo teste da covid-19 para que pudessem estar aptos a visitar as casas. (Mara Santos)

Comentários do Facebook