O Ministério Público do Tocantins (MPTO) propôs uma série de denúncias criminais nesta quinta-feira, 6, contra 33 pessoas integrantes de uma organização criminosa que traficava drogas nos municípios de Gurupi, Formoso do Araguaia, Fátima e Figueirópolis.

Os denunciados estão presos desde a operação Gran, que foi deflagrada pela Delegacia Especializada em Investigações Criminais (Deic) Sul em 27 de março deste ano, nas respectivas cidades e também no Centro de Reeducação Social Luz do Amanhã, em Cariri do Tocantins, onde um dos integrantes continuava praticando o crime de tráfico de drogas, apesar de já se encontrar detido.

Foram oferecidas pelo Ministério Público um total de 17 denúncias criminais, de acordo com os núcleos de atuação da organização criminosa. Os processos encontram-se na 2ª Vara Criminal de Gurupi e aguardam recebimento do magistrado.

As investigações que fundamentam as denúncias e resultaram na prisão tiveram início em abril de 2018, tendo contado com interceptações telefônicas de alguns dos envolvidos, autorizadas pela Justiça.

Pesam contra os denunciados as acusações de diferentes tipos de crime, incluindo tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro. As denúncias foram propostas pelo promotor de Justiça Breno de Oliveira Simonassi, da 2ª Promotoria de Justiça de Gurupi.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.