Vacina

Ministério da Saúde está distribuindo mais um lote com 6,9 milhões de doses de vacinas Covid-19 a partir deste sábado (1°/5). São 6,5 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e 420 mil doses da Coronavac, do Instituto Butantan. Os dois imunizantes são produzidos no Brasil com matéria-prima importada. Todos os estados e Distrito Federal vão receber as novas remessas em uma divisão proporcional e igualitária.

Com esse novo lote, mais grupos prioritários passam a ser atendidos: o de pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas, e de pessoas com deficiência permanente. Além disso, estão sendo destinadas doses para idosos entre 60 e 64 anos, trabalhadores da saúde e forças de segurança e salvamento e Forças Armadas que atuam na linha de frente da pandemia. As orientações estão no 14º informe técnico da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS).

PRIMEIRA E SEGUNDA DOSE

Nessa pauta de distribuição, a vacina da Fiocruz é destinada para a primeira dose de pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas, pessoas com deficiência permanente e idosos entre 60 e 64 anos. Já a vacina do Butantan será para a primeira e segunda dose de agentes das forças de segurança e salvamento e Forças Armadas e para a segunda aplicação em trabalhadores da saúde.

A estratégia de distribuição de vacinas Covid-19 é revisada semanalmente em reuniões tripartites (governos federal, estaduais e municipais), observando as confirmações do cronograma de entregas por parte dos laboratórios. O objetivo é garantir a cobertura do esquema vacinal no tempo recomendado de cada imunizante: quatro semanas para a vacina do Butantan e 12 semanas para as doses da Fiocruz.

O Ministério da Saúde reforça para que a população tome a segunda dose da vacina Covid-19 mesmo que a aplicação ocorra fora do prazo recomendado pelo laboratório, para assegurar a proteção adequada contra a doença.

Comentários do Facebook