Profissionais receberam cartas durante o plantão

“Eu me senti muito feliz com a cartinha, deu-me força para viver, confiança e fé  em Deus. Agradeço muito”, este foi depoimento do paciente Selvino Alves Oliveira que realiza tratamento no Hospital Geral de Palmas (HGP) e recebeu mensagens do  Projeto “Cartas de Esperança”. O projeto idealizado pela professora Eliana Brito e desenvolvido com os alunos da Escola Estadual Professora Elizângela, tem sido um alento em tempos de pandemia, em que as visitas hospitalares estão suspensas como forma de evitar a propagação do novo Coronavírus.

A professora Eliana Brito Soares Gouveia que atua há 23 anos em sala de aula explica a ação. “Aproveitando o período de pandemia pela Covid-19, onde todos se encontram em situação de preocupação e indecisão de como tudo terminará,  os alunos desse projeto demonstram empatia e agradecimento. Por meio das cartinhas, palavras de ânimo e desejo de superação, deixaram o ambiente do hospital mais leve e cheio de esperança. Não acredito que minha função seja só mediar conhecimento, pois sei que tenho outras formas de contribuir com a formação acadêmica e para a vida dos estudantes. Com esse propósito, desenvolvo projetos que tenham como objetivos trabalhar a empatia e solidariedade nos estudantes. Eles participam como protagonistas, exemplo o projeto “Cartas de Esperança”, comentou, acrescentando que a iniciativa começou em 2019 e além de levar alento, as cartas são uma forma dos  alunos  treinarem a escrita.

Segundo a responsável pelo setor de Humanização do HGP, Goiamara Borges,  “sabemos o quanto é importante esta ação para nossos pacientes, levar ânimo e esperança, ajuda a parte emocional num momento tão complicado de saúde. Nesta edição nossos servidores foram agraciados com as cartas. Isso foi incrível”, destacou.

Para a psicóloga do HGP, Évora Melo,  as cartas proporcionam aos pacientes e servidores a possibilidade de receberem palavras de apoio,  especialmente neste momento em que todos estão precisando de cuidados para além da saúde física. “São escritas por alunos que desejam transmitir, através do papel, conforto, carinho e amor ao próximo. Nós da equipe de psicologia realizamos a leitura e a entrega destas cartas, nas alas das unidades de internação e presenciamos o quanto elas fazem a diferença!”, afirmou.

Comentários do Facebook