Jornalista Érica Lima aposta no uso de máscara reutilizável para evitar contaminação pelo coronavírus

A organização Mundial da Saúde (OMS) passou a recomendar, desde o início de abril, o uso de máscaras pela população como mais uma ferramenta de prevenção ao coronavírus (COvid-19), a recomendação também passou a ser realizada pelo Ministério da Saúde (MS) e já foi adotada em diversas cidades do País. Desta forma, a Prefeitura de Palmas por meio do Decreto Nº 1.884/2020, publicada no Diário Oficial do Município número 2.477, torna obrigatório o uso de máscaras por toda a população em espaços de circulação de pessoas.

De acordo com o Decreto, são considerados espaços de circulação públicos, ruas, praças, estabelecimentos públicos e privados, demais espaços abertos ao público, transporte coletivo urbano, transporte individual, táxis ou transportes por aplicativos. Preferencialmente as máscaras devem ser reutilizáveis.

A recomendação é para que a população adote máscaras caseiras, reutilizáveis, de tecido dupla face, evitando assim, a falta das máscaras hospitalares, principalmente as cirúrgicas, no mercado, uma vez que estas estão destinadas prioritariamente aos profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à pandemia.

O engenheiro em Segurança do Trabalho da Secretaria Municipal de Saúde, Melque do Vale, explica que a máscara é um acessório a mais na proteção, mas que as outras medidas de higiene não devem ser descartadas. “A máscara ajuda a aumentar na proteção, mas não pode ser o único cuidado, ela deve ser somada às medidas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão ou a desinfecção com álcool gel”, explica.

De acordo com o Ministério da Saúde, se duas pessoas estiverem usando a máscara corretamente, o nível de contágio diminui, uma vez que as gotículas expelidas encontram uma barreira física.

O engenheiro explica que pelo fato de o vírus ser formado por uma partícula muito pequena, quanto menor a porosidade do tecido da máscara, maior será a proteção. A preferência é de que as máscaras sejam forradas. “Essa barreira mecânica ajuda a conter a transmissão, mas não garante 100% da proteção, por isso outras ações como o distanciamento social são importantes”, diz.

Outra questão são os cuidados que devem ser mantidos ao utilizar a máscara, como  retirar apenas pelos ajustes laterais, não levar as mãos ao rosto, trocar sempre que estiverem com sujidades, saturadas por saliva, ou contaminada, devendo imediatamente lavar com água  e sabão, secar e passar a ferro. É importante guardar em saquinhos de plástico transparente perfurados, de forma que a máscara esteja arejada, devendo-se guardar em local seguro.

Também é importante ressaltar que a máscara é individual e não pode ser compartilhada com ninguém, mesmo que seja um ente familiar como mãe, filho, irmão, marido, esposa.

Para quem optar pelo uso de máscaras descartáveis é preciso cuidado ao jogar fora o material, a recomendação do engenheiro é para que esta seja acondicionada em sacos identificados, e manter fora do alcance de crianças, e descartá-la em local adequado.

Sensação de proteção

Mesmo antes da obrigatoriedade do uso em Palmas, a jornalista Érica Lima já havia adotado o uso da máscara de proteção, que segundo ela, a faz se sentir mais segura e com o sentimento de que evita a proliferação do vírus.

“Uso desde o dia que entrei em quarentena, dia 17 de março. No início, sem muita informação, comecei usando a cirúrgica. Na minha cabeça, mesmo que não evitasse contrair o vírus ela me impedia de colocar as mãos na boca e no nariz. Isso já me deixava segura. Depois comprei as de pano, até porque eu me sentia culpada de estar usando as cirúrgicas em um momento de escassez. Agora, virou acessório quando eu saio, porque já levo comigo a informação de que estamos trabalhando em uma corrente em que um protege o outro”, afirma.

Recomendações do Ministério da Saúde

– A máscara pode ser usada até ficar úmida. Depois desse tempo, é preciso trocar. Então, o ideal é que cada pessoa tenha pelo menos duas máscaras de pano;

– A máscara serve de barreira física ao vírus. Por isso, é preciso que ela tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja, dupla face;

– Também é importante ter elásticos ou tiras para amarrar acima das orelhas e abaixo da nuca. Desse jeito, o pano estará sempre protegendo a boca e o nariz e não restarão espaços no rosto;

– Use a máscara sempre que precisar sair de casa. Saia sempre com pelo menos uma reserva e leve uma sacola para guardar a máscara suja, quando precisar trocar;

– Chegando em casa, lave as máscaras usadas com água sanitária. Deixe de molho por cerca de 30 minutos. (Fonte: Ministério da Saúde)

Comentários do Facebook