Uma festa clandestina que iria acontecer em uma chácara, localizada no loteamento Água Boa, na região Norte de Palmas, foi impedida de ser realizada na noite deste sábado, 19, pela operação integrada das forças de segurança. O flagrante ocorreu após denúncia, o que frustrou a expectativa do público minutos antes do início da festa, que já estava com tudo pronto para mais uma noite de aglomeração, descumprindo os protocolos de segurança estabelecidos nos decretos municipais que proíbem a realização de eventos na Capital, neste período de pandemia do novo coronavírus.

Em um áudio que circula via aplicativo de mensagens, um homem anunciava ao grupo da festa clandestina que o evento havia sido interrompido pela fiscalização das forças de segurança. Ele encerrou a fala convidando as pessoas para transferir o evento para o outro lado da ponte sobre o Lago de Palmas, ou seja, no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional.

Segundo os fiscais de Obras e Posturas da Diretoria de Fiscalização Urbana, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Serviços Regionais, a equipe recebeu a denúncia momentos antes do início da festa. Após abordagem, o local foi interditado e as pessoas que aguardavam a festa foram dispersadas.

Além desta ocorrência, a fiscalização percorreu outros pontos da cidade que resultaram na aplicação de quatro autos de infração e cinco notificações por infração às medidas sanitárias para o enfrentamento da pandemia.

Denúncias

As equipes estão de plantão e novas denúncias podem ser acionadas no portal de atendimento da Ouvidoria do Município nos números 0800-6464-156 ou 3212-7144, ou via 153 (Guarda Metropolitana de Palmas) e 190 (Polícia Militar).

Ação conjunta

Os trabalhos são coordenados pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Serviços Regionais, por meio dos fiscais de Obras e Posturas da Diretoria de Fiscalização, e da Secretaria da Saúde, por meio da Vigilância Sanitária (Visa), e conta com o apoio das equipes da Guarda Metropolitana de Palmas (GMP), Agentes de Trânsito e Transportes do Município e Polícia Militar (PM).

Comentários do Facebook