O Ministério Público do Tocantins (MPTO) obteve a condenação de Carlos Henrique Evangelista Vilas Boas, acusado de matar, a golpes de faca e facão, Pedro Pereira da Silva em 2018, no Projeto de Assentamento Baviera, no município de Aragominas. A Sessão do Tribunal do Júri foi realizada nesta quinta-feira, 27, em Araguaína.

Carlos Henrique foi condenado a pena de 12 anos de reclusão por homicídio qualificado, conforme a Ação Penal apresentada pelo Ministério Público. Os jurados acataram as alegações do MPTO e reconheceram que o crime foi cometido por motivo fútil, com uso de meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Na sustentação oral, além de pedir a condenação, o promotor de Justiça Pedro Jainer Passos Clarindo da Silva requereu ao juiz o reconhecimento da circunstância atenuante de confissão espontânea.

O crime aconteceu no dia 12 de novembro de 2018, quando Carlos Henrique, acompanhado de um adolescente, desferiu golpes de faca e facão contra Pedro Pereira. Segundo o apurado, os dois ingeriam bebidas em um bar, quando a vítima, em estado avançado de embriaguez, passou a incomodar pessoas que jogavam sinuca, fato que irritou os dois acusados.

Assim que deixaram o bar, os autores abordaram a vítima e passaram a agredi-la com tapas e socos. Posteriormente, voltaram armados ao local onde o haviam deixado desmaiado. O laudo apontou que Pedro tentou se defender e que foi arrastado por mais de 30 metros até um campo de futebol, onde recebeu golpes de arma branca, que resultaram em ferimentos no abdômen e causaram seu degolamento.

Carlos Henrique respondeu ao processo em prisão preventiva e assim continuará até que sejam julgados os recursos. (Denise Soares)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.