O curso de mestrado em Letras da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em Porto Nacional está disponibilizando cotas para lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexos. Ao todo, são oferecidas 62 vagas, sendo que seis delas são destinadas aos candidatos LGBTI.

Segundo o coordenador do mestrado, o professor Carlos Roberto Ludwig, esta é a primeira vez que é disponibilizada cota para LGBTI. As inscrições vão abrir no dia 27 de fevereiro e encerrar em 27 de março de 2020. O edital completo pode ser conferido aqui.

“Partimos do princípio de que a universidade é pública e visto que a universidade tem incluído minorias excluídas e marginalizadas em tempos reacionários, é nosso papel social incluir as minorias como é o caso de LGBTI”, argumentou.

Candidatos com curso de graduação em qualquer área de conhecimento poderão concorrer a uma vaga, desde que desenvolvam um projeto de pesquisa nas áreas de linguística ou literatura.

Segundo o edital, os candidatos autodeclarados LGBTI que desejam concorrer às cotas deverão anexar no formulário de inscrição a autodeclaração que está no anexo do edital. O documento diz que não será realizada a heteroidentificação dos candidatos cotistas durante o processo seletivo. No entanto, os indícios de irregularidade serão comunicados ao Colegiado do Programa para verificação.

O mestrado ainda oferece cotas para surdos e candidatos pretos, pardos, quilombolas e indígenas. Veja:

  • Ampla concorrência – 70% – 42 vagas
  • Cotas étnico-raciais – 10% – 6 vagas
  • Cotas LGBTI – 10% – 6 vagas
  • Cotas para candidatos surdos – 10% – 6 vagas
  • Cotas Quali + Técnicos-administrativos da UFT – 2 vagas

A taxa de inscrição será de R$ 90 e deverá ser paga nas agências bancárias até o dia 27 de março. Os candidatos cotistas são automaticamente isentos do pagamento da taxa.

O candidato ao título de mestre em Letras deverá defender um projeto de dissertação, que deverá ser desenvolvido durante o mestrado.

Comentários do Facebook