Nesta quarta-feira, 29, a Secretaria do Estado de Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Diretoria de Direitos Humanos, participou de  cine debate promovido pela Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo do Tocantins (Coetrae/TO) com o objetivo de fomentar diálogos sobre enfrentamento ao trabalho escravo,  realizado no Memorial Coluna Prestes às 19h00, em Palmas. A ação contou com a participação do Serviço Social do Comércio (Sesc Tocantins) e Federação dos Trabalhadores na Agricultura do estado do Tocantins (Fetaet).

Segundo Renato Costa, auditor fiscal do trabalho e integrante da Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo do Tocantins, o cine debate serviu para elucidar a população sobre a existência da prática. “Eventos dessa natureza são muito importantes para conscientização da população sobre a existência desse grave problema e da importância de combatê-lo” disse.

O auditor fiscal do Trabalho também afirma que uma das ferramentas de enfrentamento ao trabalho escravo é disseminar informações sobre a temática. “A estratégia é divulgar o conceito de trabalho escravo para que as pessoas possam denunciar sempre que tiverem conhecimento desse tipo de situação, com o máximo de informações possíveis, de modo que as fiscalizações sejam realizadas nos locais com indício de ocorrência das irregularidades”, elucidou Renato.

Para a Diretora de Direitos Humanos da Seciju, Sabrina Ribeiro, o trabalho escravo se manifesta de maneiras diferentes atualmente, e saber identificá-lo auxilia no enfrentamento. “Hoje em dia ele pode ser identificado de diversas formas como por exemplo, trabalho forçado, servidão por dívida e jornada de trabalho exaustiva em que a pessoa possui um curto período de descanso comparado ao tempo trabalhado. Situações como essas exploram a mão de obra e degradam a integridade física, moral e psicológica de dessas pessoas”,explicou.

Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo

A data, foi criada em 2009 para homenagear auditores e um motorista assassinados em 28 de janeiro de 2004 enquanto realizavam uma inspeção para apurar denúncias de trabalho escravo em fazendas na região de Unaí (MG). O Acontecimento ficou conhecido nacionalmente como a Chacina de Unaí.

Documentário Precisão

Lançado em 2019, na cidade São Luís do Maranhão pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Ministério Público do Trabalho (MPT), o documentário “Precisão” conta a história de trabalhadores resgatados de condições de trabalho análogas a escravidão. O título do documentário é um termo utilizado por maranhenses para definir a extrema necessidade de trabalhar para lutar por sua sobrevivência.

*Estagiária sob supervisão da jornalista Maria Gabriela Costa.

Legenda Redes: Seciju por meio da Diretoria de Direitos Humanos participa de cine debate promovido pela Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo do Tocantins (Coetrae/TO). A ação faz alusão ao Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo foi exibido o documentário “Precisão” que relata a história de trabalhadores resgatados de condições de trabalho análogas à escravidão.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.