Vários indivíduos suspeitos de integrar uma associação criminosa, responsável por comandar o tráfico de drogas, na cidade de Paraíso do Tocantins, foram presos, na manhã desta sexta-feira, 3, durante a operação Luzivegas que foi deflagrada pela Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), na cidade de Paraíso e também no distrito de Luzimangues, município de Porto Nacional.

Comandada pelo delegado-chefe da 6ª Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (6ªDEIC), Antonio Onofre Oliveira da Silva Filho, a ação foi denominada de Luzivegas e teve início ainda nas primeiras horas da manhã quando dezenas de policiais civis da referida divisão especializada, com apoio de agentes da 1ª DEIC de Palmas, Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), Grupo de Operações com Cães (GOC), da Polícia Militar e policiais da 5ª Delegacia Regional de Paraíso, saíram às ruas de Paraíso e Luzimangues com o intuito de dar cumprimento a oito mandados de prisão preventiva contra os chefes, “gerentes” do tráfico, e demais integrantes do grupo criminoso.

Na oportunidade, também foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em endereços pertencentes aos investigados, visando apreender entorpecentes e proveitos do crime. Segundo a autoridade policial, os suspeitos seriam responsáveis por integrar uma associação criminosa armada muito bem articulada e que agia há vários meses, comercializando entorpecentes no município do Vale do Araguaia.

“As investigações da 6ª DEIC apontaram que o grupo criminoso é extremamente organizado, sendo que cada integrante tem uma função definida na hierarquia da associação”, explica Antonio Onofre. Os trabalhos investigativos tiveram início há cerca de três meses quando os investigadores da DEIC Paraíso começaram a monitorar as ações delituosas do bando, que conta com a liderança de um casal, que reside em uma chácara no distrito Luzimangues, mas que age na cidade de Paraíso.

“O chefe do grupo é responsável por fornecer boa parte dos entorpecentes comercializados na cidade de Paraíso e região. Exercia liderança através de cadeia de comando, seus subordinados exerciam funções semelhantes às de uma empresa, com atribuições hierarquizadas, desde distribuição e armazenamento dos entorpecentes, vendedores do varejo, e até responsáveis pela arrecadação financeira dos valores obtidos com o tráfico de drogas”, ressalta o delegado.

 “Japão ou Coroa” como era vulgarmente chamado o líder da quadrilha, tem 41 anos e usava documentos falsos por ser foragido do Estado do Goiás, em razão de ter sido condenado pelos crimes de tráfico de drogas e posse irregular de arma de fogo.

Ao todo foram presas nove pessoas, pelos crimes de Tráfico de Drogas, Associação para o Tráfico, Posse e Comercio Ilegal de Arma de Fogo, sendo, mediante cumprimento a mandados de prisão preventiva, ocorre que duas delas também foram presas em flagrante pelos crimes acima mencionados, pois estavam de posse do entorpecente apreendido. No total, foram apreendidos 10 Kg de maconha, sendo 1kg de Crack, 1,5kg de cocaína de alta pureza, 4kg de cocaína misturada, 27 comprimidos de ecstasy, além de nove armas de fogo de calibres diversos. Também foram apreendidos dois automóveis e duas motocicletas, provenientes do lucro do tráfico.

O chefe da associação criminosa e sua companheira, de 27 anos foram presos em sua chácara em Luzimangues, e após a realização das providências legais cabíveis, recolhidos nas unidades prisionais da cidade de Palmas, e o restante do grupo preso em Paraíso do Tocantins -TO, encaminhados a Unidade Penal local, onde permanecem à disposição do Poder Judiciário.

Comentários do Facebook