Imagem : Divulgação/ilustrativa

Na manhã desta sexta-feira, 15, um homem de 51 anos, suspeito de estuprar as três filhas menores, na cidade de Aragominas, foi preso pela Polícia Civil do Tocantins de Araguaína.

A ação foi resultado de uma operação realizada por policiais civis da 3ª Divisão de Combate ao Crime Organizado da cidade.

Coordenada pelo delegado-chefe da 3ª DEIC, Jodivan Silva, a ação policial foi deflagrada em um assentamento, localizado na zona rural do município de Aragominas, onde o suspeito residia atualmente. Ele foi capturado, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva, expedido pela Vara Criminal da Comarca de Augustinópolis, onde os crimes teriam ocorrido.

Segundo a autoridade policial, as investigações da Polícia Civil demonstraram que, no ano de 2014, o indivíduo teria estuprado as três filhas menores de idade. “Logo que tomou conhecimento dos crimes, a Polícia Civil iniciou as investigações, sendo que o delegado responsável pelo caso, à época dos fatos, representou pela prisão do pai das crianças que foi apontado como o autor dos abusos sexuais”, disse o delegado.

No entanto, ao perceber que estava sendo investigado e para evitar ser preso, o homem acabou evadindo e passou a ser considerado foragido da Justiça. Com o aprofundamento das investigações, os policiais civis da 3ª DEIC conseguiram localizar o paradeiro do indivíduo e efetuaram a prisão do mesmo.

Após ser capturado, o homem foi conduzido à sede da 3ª DEIC, em Araguaína e após a realização dos procedimentos legais cabíveis, recolhido à Unidade Penal de Araguaína onde se encontra à disposição da Justiça. Para o delegado Jodivan, com a prisão do suspeito, a justiça seguirá seu curso normal, uma vez que se trata de crimes hediondos, cometidos no seio familiar e que abalaram profundamente as vítimas que são filhas do investigado.

“A localização e captura do homem traz uma resposta satisfatória a toda a sociedade, por parte da Polícia Civil, pois trata-se de crimes hediondos e praticados contra a dignidade sexual de três crianças”, pondera a autoridade policial.

Comentários do Facebook