Sintet

Em Assembleia Geral Extraordinária realizada na manhã desta segunda-feira, 27, a enfermagem do Tocantins quer aprovação na íntegra do PL 2564/2020 para regulamentar o piso salarial nacional da categoria.

A proposta que é de autoria do senador Fabiano Contarato propõe um piso salarial para os enfermeiros no valor de R$ 7.315,00; Técnico de Enfermagem R$ 5.320,50 e Auxiliar de Enfermagem 3.657,50.

As discussões intensificaram ainda mais quando foi apresentado também a proposta da senadora Eliziane Gama que propõe valores bem abaixo da primeira proposta sendo para Enfermeiros no valor de R$ 4.750,00; para o Técnico de Enfermagem R$ 3.325,00 e para o Auxiliar de Enfermagem 2.375,00. Mas esta é uma propositura ainda não oficializada no Senado Federal e que não conquistou os votos da categoria.

Observando o atual cenário salarial, os profissionais evocaram sentimento de revolta como salários indignos, aposentadorias injustas com valores reduzidos, carga horária exaustiva, fatores que promovem má qualidade de vida laboral.

Os Enfermeiros, Técnicos e Auxiliar de Enfermagem ainda reivindicam a aprovação das 30h para a classe durante a Assembleia Geral conjunta dos sindicatos SINTRAS-TO, SETO e SEET realizada por vídeo conferência.

Só no Tocantins são mais de 20 mil profissionais da enfermagem. E a proposta aprovada por eles será encaminhada ainda hoje para

Confederação Nacional dos Trabalhadores em Saúde – CNTS e para o Fórum Nacional da enfermagem.

Estes como representantes da enfermagem brasileira irá encaminhar a proposta aprovada pela categoria para o Senado contando que a mesma seja pautada ainda nesta semana para aprovação parlamentar.

De acordo com o presidente do SETO, Altamir Perpétuo, as deliberações apresentadas na Assembleia serão encaminhadas para ser adicionada com as decisões dos outros Estados, para que seja decidido uma proposta oficial da categoria a ser apresentada no Senado, ainda nesta semana para aprovação parlamentares.

Para o presidente do SEET, João Batista, a categoria da enfermagem está avançando nos debates sobre o PL 2564/2020 e se mostrando mais presentes da luta pelos seus direitos. “Demos um grande passo, pois viemos lutando há anos para ter essas oportunidades de manifestar o real interesse da categoria, ainda não é uma vitória, mas aos poucos com o apoio dos políticos e a união dos profissionais de Enfermagem podemos ter êxito e conquistar mais esse direito”, ressalta.

O presidente do Sintras, Manoel Miranda, que também é enfermeiro, se une aos profissionais. “Estamos unidos para que a enfermagem conquiste um piso salarial justo, com uma carga horária que promove aos profissionais uma qualidade de vida laboral e familiar”, disse Miranda.

Comentários do Facebook