Governador do Maranhão, Flávio Dino

O governo do Maranhão lançou um edital para contratar a construção de 22 “módulos de encontros íntimos” em unidades prisionais do estado. O valor previsto é de R$ 1,6 milhão. Cada módulo será composto por três salas íntimas, o que resultará em 66 salas. Dessas, 36 salas ficarão em penitenciárias de São Luís e outras 30 em unidades do interior do estado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pelo edital, os locais de encontros íntimos terão de ser construídos em 11 unidades prisionais, em um prazo de dois meses. O governo afirma que a medida colabora para a reintegração social dos presos.

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária do Maranhão disse que a visita íntima tem respaldo na Constituição e na Lei de Execuções Penais, que assegura como direito do preso a visita de cônjuges, companheiras, parentes e amigos. Também afirmou que o caráter “íntimo” não deve ser interpretado como de cunho meramente sexual, mas como um fator indissociável do viés ressocializador da pena e um estímulo à manutenção de vínculos afetivos, maternais, paternais ou conjugais. A secretaria também disse que todas as penitenciárias brasileiras devem ter salas para visitas íntimas, de acordo com resoluções do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária. Afirmou ainda que  a construção das 22 celas está condicionada às Diretrizes Básicas para Arquitetura Penal do CNPCP e do Ministério da Justiça). (Época)

Comentários do Facebook