Renato Melo (à esq), secretário-geral, e Pedro Henrique, presidente do Sindifato
Renato Melo (à esq), secretário-geral, e Pedro Henrique, presidente do Sindifato

Está marcada para a manhã desta segunda-feira, 28, no Ministério do Trabalho e Emprego de Palmas nova audiência de mediação para formalização da convenção coletiva dos farmacêuticos do Tocantins.

Essa será a segunda tentativa de acordo entre os farmacêuticos e os hospitais e laboratórios. Isso porque na reunião marcada no último dia 18 o Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Tocantins (Sindessto) não compareceu.

“Infelizmente, a categoria ficou frustrada no último dia 18 com a ausência dos representantes da classe patronal. Desta vez, esperamos que a audiência marcada pelo ministério seja respeitada, bem como a categoria num todo”, afirmou o presidente do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins (Sindifato), Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.

A audiência foi possível graças a solicitação do Sindifato. “O apoio e a presença dos farmacêuticos são fundamentais para a categoria, em especial aos que trabalham no setor hospitalar e laboratorial. É primordial para comprovarmos a força de nossa categoria na luta, que é de todos, para não perdermos direitos”, conclamou o presidente do sindicato da categoria.

Reivindicação dos farmacêuticos

O Sindifato reivindica reajuste de 9,1% aos farmacêuticos e farmacêuticos bioquímicos, índice que levaria o piso salarial para R$ 3.560,00. A proposta de ticket alimentação é de R$ 16,38 aos trabalhadores que têm jornada especial de 12×36 ou seis horas diárias, com intervalo de uma hora para refeição. Já, quem está submetido a jornada de seis horas diárias fica assegurado: Limite de 30 horas semanal; mínimo de uma hora e no máximo de duas horas diárias de intervalo para alimentação [almoço ou jantar] ou descanso; e quinze minutos de intervalo diários para lanche.

Já a contraproposta do Sindessto prevê reajuste de 7% de aumento de 13 para 15 plantões. “Os farmacêuticos não aceitaram e solicitamos a mediação do Ministério do Trabalho”, declarou o presidente do Sindifato.

Serviço – A reunião será às 8h30, na sede do Ministério do Trabalho e Emprego de Palmas, na quadra 302 Norte, avenida NS 2 – ao lado do Fórum Trabalhista.

Comentários do Facebook