A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira, 17, a Operação “HIGHLINE”, com o fim de desarticular grupo criminoso responsável por supostamente desviar recursos públicos do PNATE e FNS através de fraude a licitações, superfaturamento de contratos, corrupção de agentes públicos e lavagem de dinheiro, no âmbito do Município de Sampaio, no norte do Tocantins.

Aproximadamente 30 policiais federais cumprem 7 mandados de busca e apreensão nos municípios Tocantinenses de Sampaio, Augustinópolis e Palmas, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

A investigação é um desdobramento da Operação IMHOTEP, deflagrada em outubro de 2019, que desarticulou organização criminosa integrada por ex-assessores parlamentares estaduais, funcionários públicos e empresários, que teriam desviado cerca de R$ 3.000.000,00 (três milhões de reais) de recursos públicos, por meio de superfaturamento de contratos.

Os investigados poderão responder pelos crimes de organização criminosa, fraude em licitações, desvio de recursos públicos, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O nome da Operação “HIGHLINE” faz alusão ao veículo possivelmente utilizado pela organização criminosa para o pagamento de propina ao prefeito de Sampaio.

A Polícia Federal ressalta que, em razão da situação de pandemia da COVID-19, foi planejada uma logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPIs a todos os envolvidos na missão, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas, investigados e seus familiares.

Comentários do Facebook