Abaixo de 30%, a umidade relativa do ar já é considerada uma situação de alerta, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Esse cenário pode provocar uma série de problemas, como infecções respiratórias e sangramentos no nariz, principalmente em crianças e idosos.

O médico otorrinolaringologista Daniel Nunes alerta que o famoso hábito de usar baldes ou bacias com água dentro da casa não umidifica o ambiente.

“A evaporação da água é bem pouca e lenta, e não é suficiente para deixar o ar mais úmido”.

O ideal é utilizar um umidificador ou, se não for possível, colocar toalhas molhadas pelo chão ou nas cabeceiras das camas ao dormir.

“Lavar o nariz com soro fisiológico várias vezes ao dia e beber muita água são outras medidas importantes”, destaca Dr. Daniel.

Outras doenças

A baixa umidade aumenta a incidência de doenças respiratórias, como a rinite alérgica e a asma, além de problemas na pele, nos olhos e sangramento nasal. As doenças respiratórias são as mais preocupantes, principalmente entre crianças e idosos, pela fragilidade do organismo.

A cantora Fernanda Rezende, de Araguaína, toma medidas preventivas todos os anos para passar pelo período de seca com mais tranquilidade.

“Muita água, exercícios antes de qualquer atividade vocal, não gritar, não falar muito alto e comer frutas ricas em água são hábitos que já tenho. Mas o principal mesmo é a hidratação”, disse.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.