Servidores fantasmas foram indiciados

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia de Repressão a Crimes de Maior Potencial contra a Administração Pública (DRACMA), concluiu nesta sexta, 3, inquérito policial instaurado para apurar denúncia de crimes contra administração pública estadual praticados por funcionária pública da extinta Secretaria Geral se Governo, em procedimento que tramita em sigilo na Comarca de Paraíso do Tocantins.

As investigações concluíram que a servidora investigada praticou crimes de peculato e falsidade ideológica, uma vez que recebeu recursos públicos mensalmente, na forma de remuneração, sem trabalhar no órgão para o qual foi cedida.

“Ficou comprovado que no período de 1 ano, 2 meses e 5 dias, a servidora investigada auferiu recursos públicos indevidamente, gerando prejuízos aos cofres públicos no valor aproximado de quarenta e dois mil reais”, ressaltou o delegado titular da unidade especializada, Guilherme Rocha Martins.

Além da servidora, outros dois ex-servidores da gestão de governo anterior foram indiciados pelos crimes de peculato e falsidade ideológica.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.