Bolsonaro em Açailândia-Maranhão/Foto: Isac Nóbrega

Nessa sexta-feira, 21, durante entrega de títulos de propriedade em Açailândia, no Maranhão, o presidente Jair Bolsonaro criticou o atual governador do Estado, Flávio Dino. O comunismo não deu certo em lugar nenhum do mundo. Não vai ser no Brasil que ele vai dar certo. Quando se fala em partido comunista, você tem que ter aversão a isso e mostrar onde esse regime foi implementado, o que sobrou para o povo. Sobrou uma igualdade, mas uma igualdade na miséria, na desesperança, na fome, na tristeza, na destruição de famílias, na destruição das religiões. Tudo que não presta, simboliza com a palavra que começa com “C” e termina com “A”: comunista, O Estado do Maranhão, tenha certeza, brevemente será libertado dessa praga. Como falei no começo, foi em tom de brincadeira, mas é verdade. Só os do partido ficam gordos, o povo emagrece e sofre. Eles não têm o que oferecer a vocês, disse ele.

Em transmissão ao vivo nas redes sociais na quinta-feira, o presidente já tinha se referido ao peso do governador Flávio Dino afirmando que só no Brasil existe comunista gordo.

Sob os gritos de Fora, Flávio Dino, Bolsonaro disse que o governo do Maranhão não se importa com a população.

Comentários do Facebook