As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, acabaram na última sexta-feira (17). A prova é promovida pelo Ministério da Educação e uma das principais dúvidas dos estudantes está na escolha do idioma. Desde 2010, as línguas inglesa e espanhola passaram a ser cobradas na prova. Na avaliação, os alunos podem optar pela língua inglesa ou espanhola e, para isso, muitos utilizam o domínio que já têm para se sair bem na prova. Pensando nisso, a inFlux English School destaca a seguir, a importância de cada idioma.

Por que a maioria dos alunos escolhe o espanhol?

Cerca de 60% dos candidatos do ENEM escolhem Espanhol como língua estrangeira, acredita-se que por conta da proximidade com a língua portuguesa, o que facilita a leitura da prova, por ter similaridades gramaticais e gráficas. São 5 questões de língua estrangeira de um total de 45 totais da prova de Linguagens e Códigos.

Como ter um melhor desempenho na prova?

De acordo com os microdados do ENEM, a média de acertos de questões de Inglês é de 45% e a de Espanhol de apenas 34%. Isso é justificável, pois mesmo que o Espanhol seja parecido com o Português, como falamos anteriormente, ainda sim, é preciso ficar atento. A prova preza pela interpretação de texto, o que justifica a percentagem, uma vez que é necessário compreender o contexto do assunto abordado.

Como posso entender se não sei falar o idioma fluentemente?

Tão importante quanto saber um novo idioma, está a capacidade de captar as informações que lemos e ouvimos todos os dias. Na hora da prova, o indicado é começar pela leitura geral do texto, identificando os pontos fortes, isso inclui imagens, gráficos, ilustrações que possam conter. Isso faz com que seja absorvido o conteúdo todo que é lido e não só palavra por palavra, o que gasta muito tempo da prova e não é garantia de compreensão.

O método da InFlux garante ao aluno o domínio do segundo idioma de forma rápida unindo duas das mais modernas e eficazes abordagens de ensino de línguas: a Comunicativa e a Lexical. “Na prática, significa aprender gramática, pronúncia e vocabulário de maneira integrada e dinâmica, vivenciando situações reais do dia a dia”, conta o CEO da empresa, Ricardo Leal.

Comentários do Facebook