A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Superintendência de Vigilância em Saúde, divulgou nesta quarta-feira, 15, reflexões e recomendações aos gestores e trabalhadores para que possam minimizar os riscos à saúde dos Agentes de Combates às Endemias (ACE) e assim, reduzir a disseminação do novo coronavírus (Covid-19).

As orientações são baseadas na Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (Portaria nº 1823/2012), a qual estabelece diretrizes para atenção integral à saúde dos trabalhadores e sua rede de atenção por meio dos Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) que segundo a superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Perciliana Bezerra, leva em consideração que “a situação de pandemia do Covid -19 e suas repercussões no trabalho e saúde da população merecem atenção, em especial, aos trabalhadores da saúde pública”, destacou.

A nota recomenda a paramentação dos Agentes de Combate a Endemias, conforme protocolos nacionais e internacionais, seguindo as orientações pelo nível médio de risco de contaminação e alguns ações como: como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las, seguido do uso de álcool gel a 70%; uso de máscara cirúrgica para etiqueta respiratória, quando não for possível o distanciamento de dois metros e uso de luvas de látex (procedimento) para manuseio nos domicílios e animais, dentre outras.

Comentários do Facebook