Foto: Divulgação

O Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Tocantins enaltece a iniciativa adotada pela presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins para contribuição financeira ao combate à pandemia que assola as noções.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A destinação dos valores oriundos de penas pecuniárias, aplicadas pelos juízes de direito, que passarão a ser destinadas para ações específicas de combate ao Coronavírus, anunciada pelo presidente do TJTO, desembargador Helvécio de Brito Maia Neto, acontece em um momento crucial, no qual devemos todos unir forças contra um inimigo em comum, a fim de derrotá-lo o mais breve possível e, assim, minorar quaisquer complicações humanas e econômicas que Estado e Nação possam vir a enfrentar.

Trata-se de um recurso de aproximadamente 2 milhões de reais, que será repassado para as ações de saúde do Serviço Único de Saúde (SUS) do Estado do Tocantins para o custeio de despesas necessárias à aquisição de equipamentos para a saúde pública do Estado.

Vale ressaltar que a justiça tocantinense tem o seu compromisso social de salvaguardar o interesse coletivo, tendo atuação incansável nesse sentido. Sento assim, a nobre postura do TJTO ratifica o compromisso de todo judiciário do Tocantins de servir a sociedade em geral.

“O SINSJUSTO vê com bons olhos, e não poderia ser diferente, a postura da presidência do TJ em vista da sua sensibilidade de auxiliar no combate e na contenção desta pandemia que assola as nações” comentou o presidente do SINSJUSTO, Fabrício Ferreira. “Deixo sinceros agradecimentos ao nobre presidente e faço votos para que novos líderes de poder tenham igual postura, pois a união é imperiosa para que possamos superar esta dificuldade que se implantou”, completa Fabrício.

Sobre a Portaria assinada pelo presidente do TJTO, desembargador Helvécio de Brito Maia Neto, e pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador João Rigo Guimarães, esta entidade deixa suas palavras de congratulação ao gesto que emana do TJTO. O SINSJUSTO ressalta que, neste momento, é importante deixar registrado que a luta é coletiva e cabe a todos, na medida de suas possibilidades, contribuir para o fim desta crise que assola o mundo.

Comentários do Facebook