Foto: Governo do Tocantins

Na 255ª reunião ordinária do Conselho Estadual de Saúde (CES/TO), realizada nesta quinta-feira, 13, na sede da Secretaria Estadual de Saúde (SES), foi aprovado por unanimidade o Projeto do Opera TO 2020 que contemplará a realização de seis mil cirurgias eletivas no Estado. Em 2019 o Estado fechou o ano com 5.830 cirurgias eletivas realizadas, superando a meta de 5.171 cirurgias estipuladas para o ano passado.

O Projeto irá priorizar as especialidades de maior demanda e com maior tempo de espera, sendo elas: ortopedia, cirurgia geral, urologia, ginecologia, cirurgia pediátrica, vascular, oftalmologia e cirurgia torácica.

Nos hospitais estaduais será aplicada a premiação do PAGH Cirúrgico, que garante a realização das cirurgias em diversas Unidades Hospitalares do Tocantins, sempre em horários diferenciados, fora da carga horária ordinária, como sábados, domingos, feriados, dias de ponto facultativo ou em período noturno/madrugada.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Dr. Edgar Tollini, a intenção do Governo é ampliar o acesso aos procedimentos cirúrgicos eletivos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), reduzir a demanda reprimida de cirurgias eletivas, otimizar a capacidade instalada dos hospitais e principalmente reduzir o tempo de espera por cirurgias eletivas. “Fila sempre teremos, pois a demanda por avaliações e consultas especializadas continuará; a meta é atender este público no menor tempo possível”, disse Tollini.

Além do Programa Opera Tocantins, os procedimentos realizados durante a rotina regular dos hospitais terão seus custos compensados por meio do FAEC (Fundo de Ações Estratégicas e Compensação), conforme critérios definidos pelo Ministério da Saúde, contemplados na Portaria MS Nº 3.932/2019.

Pauta

A extensa pauta da reunião do Conselho desta quinta-feira também contou com a apresentação do Plano de Ação Anual para Eliminação da Malária no Tocantins 2020, apresentação da situação atual das intoxicações por agrotóxicos no Estado, manifestação da criação do Curso de Medicina no Campus de Paraíso da Universidade de Gurupi (UNIRG) e os esclarecimentos sobre os resíduos lançados no lago de Palmas pela empresa BRK Ambiental.

Além do gestor da Pasta, participaram da reunião, técnicos da SES, membros e o presidente do Conselho Estadual de Saúde, Mario Benício dos Santos, além dos promotores de Justiça Thiago Ribeiro e Araína D’Alessandro. Representantes dos usuários dos SUS, dos profissionais de saúde, dos prestadores de serviços e da Saúde no âmbito estadual também participaram da reunião.

Comentários do Facebook