Foto: Ascom

O Corpo de Bombeiros Militar atendeu nesta quinta-feira, 16, a sexta ocorrência de resgate de vítima em rios no estado, sendo cinco de afogamentos só esta semana. A instituição fez um alerta, pedindo mais cuidado a banhistas, pescadores e ribeirinhos.

No Rio Areias com o Rio Batuco Barra, em Porto Nacional, Manoel da Paixão Pereira dos Santos, 55 anos, veio a óbito após um mergulho. O local tem, aproximadamente, dois metros de profundidade e águas muito turvas, e assim mesmo, Paixão avisou aos dois colegas pescadores que ia nadar.

O caso foi registrado nesta quinta-feira, 16, por volta das 14h. Bombeiros militares da 5ª Companhia se deslocaram para as margens do Rio Areias e, depois de várias ações de busca, localizaram o corpo de Manoel Paixão. O resgate foi por volta das 18h46.

Dados

Manoel Paixão é a quinta vítima de afogamento em rios do estado só esta semana.

Em Paranã, no Sudeste do Tocantins, o corpo de uma idosa de 60 anos ainda é procurado por mergulhadores do Corpo de Bombeiros Militar. Ela foi levada pelas correntezas com a neta de três anos de idade. O corpo de criança foi resgatado cinco horas depois do afogamento.

Ano passado, os registros chegaram a 51 vítimas.

Orientações

A repentina escalada dos casos de afogamento está levando o Corpo de Bombeiros Militar a alertar os banhistas, pescadores e turistas para que redobrem os cuidados.

Para a corporação, é preciso planejamento e assim não esquecer equipamentos ou material que ajude nas ações de socorro.

Outra orientação é com as crianças. “A primeira orientação que a gente faz, diz respeito às crianças. O cuidado a elas tem que ser especial. Toda vez que elas forem para a água, um adulto precisa estar por perto, supervisionando”, reforçou o sargento Adenilson Lino de Souza Carvalho.

Quem costuma ingerir bebidas alcoólicas, a recomendação é não ir para a água.

“E quem vai usar embarcações, do tipo voadeiras, que façam isso usando o colete salva-vidas, sempre”, completou Adenilson.

Os barqueiros também foram mencionados no alerta. Segundo o sargento, “a viagem deve ser sempre segura, com respeito aos limites de passageiros em cada barco, todos os passageiros devem estar com coletes salva-vidas e o piloto não pode consumir bebidas alcoólicas”.

“Quem vai para a beira da água, com crianças ou pessoas que precisam de atenção especial, nossa orientação é que sempre as vistam coletes salva-vidas, ou dê a elas algum material flutuante para que estejam agarradas durante o lazer. Se possível, limite a área de banho para todos, lembrando do velho ditado que diz: água no umbigo, sinal de perigo”, disse Adenilson.

Lugares desconhecidos também merecem atenção especial. “Às vezes é um local que já possui sinalização, por ser perigoso, é muito importante o banhista fazer a leitura dessas placas e seguir as recomendações. Contudo, se não houver placas, procure conhecer mais o local do lazer, conversando com quem é da região e saber onde estão os pontos mais perigosos, as correntezas, as pedras, etc. Todo cuidado é necessário”, finalizou o sargento.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.