São Lázaro

Milhares de pessoas visitaram os cemitérios públicos de Araguaína no Dia de Finados, celebrado ontem, 2 de novembro. Os quatro cemitérios – São Lázaro, Monte Sinai, Novo Horizonte e Barros – receberam reparos para melhor acomodar os visitantes.

No São Lázaro, o mais antigo da cidade, houve três missas e oração do terço mariano durante todo o dia. Profissionais de saúde e da equipe da Fundação de Atividade Municipal Comunitária (Funamc) permaneceram no local para orientar e atender a qualquer eventual necessidade dos visitantes.

O Departamento Municipal de Posturas e Edificações (Demupe) também esteve no cemitério para organizar as barracas de vendas. Um total de 50 comerciantes se cadastraram para ofertar alimentos, água, flores e velas nas proximidades da entrada do cemitério.

O casal Clóvis e Djalmira Santos foi visitar o túmulo de familiares. Djanira conta que aprendeu com a mãe a tradição de visitar o cemitério e fazer homenagens e orações pelos mortos nessa data. No túmulo da família estão a mãe, um irmão e um cunhado dela. “A gente ora para que eles obtenham a salvação e ora também pela nossa alma, para que alcancemos um bom lugar quando partirmos”, comentou.

Romaria

Um dos locais mais visitados no cemitério São Lázaro é o túmulo de Pedro Martins dos Reis, ou Pedro Milagroso, falecido em 1962. Devido à sua morte violenta, com resquícios de tortura, alguns religiosos começaram a visitar seu túmulo e a rogar a intercessão de Pedro para a obtenção de milagres, que foram alcançados e deram ao mendigo a fama de santo.

No local foi construída uma capelinha, onde muitos religiosos vêm fazer suas orações e agradecer às graças obtidas, segundos eles, pela intercessão do santo. Maria Anunciação da Silva faz parte desse grupo de devotos e visita o túmulo de Pedro Milagroso há 32 anos.

A idosa conta que se tornou devota desde que, depois de pedir a intercessão do santo, obteve a solução para um problema de família. “Tive um problema muito sério e me disseram para orar e pedir a intercessão de Pedro Milagroso. Orei e esperei com fé e o milagre aconteceu. Sempre conto minha história a outras pessoas e as convido a vir visitar a capela. Se a gente pede com fé, a graça vem”, concluiu.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.