Drone Araguaína
Drone Araguaína

Com o início do período de chuvas, a Prefeitura de Araguaína vem intensificado os trabalhos no combate do Aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, chikungunya e zika. Além dos trabalhos de rotina, um drone está sendo utilizado para monitorar criadouro de larvas do mosquito que são de difícil acesso, aos agentes de combate às endemias, como calhas e caixas d’água muito altas.

De acordo com o superintendente municipal de Vigilância em Saúde, Eduardo de Freitas, o equipamento irá facilitar o trabalho dos agentes tornando mais rápido, eles mesmos poderão identificar o local que serão sobrevoados. “Se houver caixas d’águas abertas, calhas ou outras situações que possam favorecer a proliferação do mosquito, os proprietários serão notificados para providenciar a eliminação dos reservatórios o mais rápido possível”, explicou.

O superintendente acrescentou que o uso do drone também facilitará o trabalho para verificar se há focos em terrenos e lotes baldios de difíceis acessos e em residências fechadas, nas áreas onde são realizados os bloqueios. Ao todo, são nove quarteirões, onde houve casos suspeitos ou confirmados de dengue, chikungunya ou zika.

Focos

Com dados do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do Município, 72% dos focos de infestação do Aedes Aegypti são encontrados em residências. A colaboração da população é muito importante, todos precisam ficar atentos aos cuidados com os quintais.

Os terrenos baldios correspondem a 17% dos focos; e o comércio tem 7%; os pontos estratégicos, que são borracharias, cemitério e rodoviária, têm 2% dos focos de infestação; e outros imóveis, como praças, escolas e igrejas, também têm 2%.

Ações

O combate ao Aedes não para no Município. Além do trabalho de rotina dos agentes, foram realizadas atividades em parceria com o Exército Brasileiro em duas etapas, combatendo aproximadamente 400 focos, mais de seis mil imóveis foram inspecionados.

As equipes de Vigilância em Saúde do Centro de Controle de Zoonoses de Araguaína realizam palestras de Educação em Saúde em escolas municipais, estaduais e outros órgãos parceiros, com apresentação de temas sobre doenças de forma dinâmica, utilizando fantoches. Haverá ainda apresentações de teatro.

O Município também confeccionou armadilhas para o mosquito em parceria com a Comunidade Terapêutica Vida Nova, com distribuição para as famílias. São realizadas também a borrifação com bombas especialmente em pontos estratégicos, onde são encontrados mais focos de infestação. (Gláucia Mendes)

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.