Plenário da Assembleia Legislativa
Plenário da Assembleia Legislativa

Deflagrada pela Polícia Federal com o objetivo de investigar possíveis irregularidades nas desapropriações de imóveis para a construção do BRT, a operação “Nosotros” foi tema do discurso do deputado Ricardo Ayres (PSB) na sessão ordinária desta terça-feira, dia 22. Para o parlamentar, a motivação se deve ao descontentamento de proprietários com a recente política fiscal implantada em Palmas pelo prefeito Carlos Amastha (PSB).

Segundo Ayres, “as normas pretendem corrigir possíveis injustiças que permitiram aos especuladores, no passado,  a aquisição de terrenos a preços baixos e sua venda a preço de ouro no futuro”. Ele acrescenta que o aumento do IPTU nas grandes áreas e o fato de o prefeito não aceitar a pressão do setor imobiliário, que queria ampliar o Plano Diretor de Palmas a fim de estender a oferta e valorizar os lotes mais centrais,
motivaram as denúncias. “Confio na Polícia Federal, que presta inclusive um grande serviço ao País, e nada será provado contra o prefeito”, argumentou.

Ayres informou que cerca de 40 proprietários concentram cem grandes áreas da Capital, e somente 15 deles pagaram seus impostos. “O prefeito não vai se intimidar e continuará com a mesma metodologia, pois essa é uma demanda e uma necessidade da população de Palmas”, arrematou. No entanto, o deputado Wanderley Barbosa (SD) argumentou que as denúncias não foram feitas por empresários, uma vez que a operação investiga se o aumento excessivo do IPTU pretendia constranger proprietários à venda de seus imóveis.

Zé Roberto (PT), por sua vez, garantiu que só há uma maneira de enfrentar o problema: aplicar a medida que autoriza a prefeitura a adotar a Zona Especial de Interesse Social (Zeis), política que permite a construção de habitação popular de interesse social no centro da cidade.

Ao fim do debate, Ayres anunciou que fará nesta quarta-feira, dia 23, um pedido de abertura de CPI para investigar a especulação imobiliária na Capital, e que o prefeito de Palmas será o primeiro convocado. O procedimento já fora proposto na Câmara Municipal de Palmas pelo vereador Lúcio Campelo (PR), com vistas a apurar a questão do BRT.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.