Em Assembleia Geral Extraordinária, na manhã desta sexta-feira, 13, os servidores de Palmas aprovaram vestidos com coletes de greve, demonstrando descontentamento com a gestão estadual, a mobilização para um movimento paredista por tempo indeterminado.

“Se o governo não abrir diálogo apresentando uma proposta de encontro com os anseios da categoria e sinalizar uma ação concreta de pagamento dos direitos dos servidores, os profissionais deixarão de atender nas unidades o que afetará nos dezenove hospitais do Estado”, reforça o presidente Manoel Miranda.

Assim, a próxima semana será para mobilizar a categoria para o movimento paredista nos hospitais, se o Governo não se manifestar, os servidores começam a paralisação no dia 23, que estenderá até o Estado atender todas as reivindicações da categoria.

Portanto, nas assembleias realizadas em Augustinópolis dia 10; Araguaina, 11; Gurupi, 12; e hoje, 13, em Palmas, os servidores evocaram suas reivindicações e indignações.

 

Entre elas estão o cumprimento do acordo, condições de trabalho, realização de concurso público, pagamento do plantão extra, adicional noturno, alimentação com qualidade nutricional nas unidades do estado, local de repouso, gratificação entre outras.

 

E ainda no final da Assembleia os servidores criaram a comissão de greve, e a diretoria do Sintras notificará oficialmente o governo sobre a decisão da categoria.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.