dianopolis-2Após atuação da subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Dianópolis, um falso escritório de advocacia foi fechado na cidade. O suposto responsável pelo exercício ilegal da profissão começou a ser investigado pela Polícia e já tem audiência criminal marcada para novembro.

Conforme o presidente da Subseção a OAB de Dianópolis, Hamurab Ribeiro Diniz, foi instalado na rua Sete de Setembro, a principal da cidade, um suposto escritório de Antônio Oliveira, que se intitulava como advogado.

No entanto, nem no local e nem no panfleto distribuído por toda a cidade havia qualquer menção ao número de inscrição da OAB, o que é obrigatório. Desconfiados, o presidente da OAB de Dianópolis e o membro do TED (Tribunal de Ética e Disciplina) da OAB-TO Eduardo Calheiros Bigeli ligaram para o telefone anunciado e interpelaram o suposto advogado. “O próprio Antônio Oliveira, que foi como ele se identificou no telefone e nos panfletos, disse que não tinha OAB”, ressaltou Hamurab, ao destacar que mesma resposta foi repassada pelo suspeito ao delegado de Polícia.

Tendo em vista esta situação, os dois advogados registraram um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) e a Justiça já marcou para 22 de novembro a audiência no Juizado Especial Criminal. O acusado pode responder por crime de exercício ilegal da profissão, além de outros delitos.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.