Foi realizada no início da tarde desta terça-feira, 4, em Palmas, a reprodução simulada do crime de homicídio do qual foi vítima, o empresário Carlos Henrique de Oliveira, também conhecido como “Nhac”, de 34 anos de idade. O crime ocorreu por volta das 7 horas da manhã do dia 28 de outubro de 2015, em uma casa de jogos clandestina, localizada na quadra 206 Sul, no centro da Capital.

Segundo apontaram as investigações, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o crime foi cometido por Paulo Gomes de Oliveira, também conhecido como “Paulo Figurinha”. A reconstituição do homicídio foi solicitada pela advogada de Paulo com o objetivo de dirimir dúvidas da defesa, sobre a quantidade de disparos efetuados contra a vítima e um possível intervalo entre eles.

Os trabalhos periciais foram comandados pelos peritos do Instituto de Criminalística de Palmas e foram coordenados pelo delegado titular da Divisão de Homicídios João Sérgio Vasconcelos Kenupp. Um grande aparato composto por policiais civis da DHPP, Polícia Militar, Agentes da Secretaria Municipal de Mobilidade, Acessibilidade, Trânsito e Transporte, com apoio de equipes do Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), tropa de elite da Polícia Civil, foi utilizado para garantir a integridade física dos peritos responsáveis pela reprodução simulada e do acusado pelo crime.

De acordo com o delegado João Sérgio, a ação produziu resultados satisfatórios, pois segundo ele, há muita semelhança no depoimento do acusado e na dinâmica dos fatos levantados pela perícia com relação à maneira como o homicídio foi cometido. Ainda conforme o delegado, o acusado Paulo Gomes, aceitou contribuir para a reprodução e teria assassinado Carlos Henrique, após um desentendimento, ocasionado por uma dívida referente a um jogo de pôquer que ambos estavam disputando.

Paulo Gomes de Oliveira foi preso por policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), do Tocantins, em conjunto com policiais civis de Vitória da Conquista (BA) no dia 10 de abril, quando se encontrava escondido em uma residência localizada no Bairro Morro dos Pássaros III. De acordo com as investigações da DHPP, desde a época do crime, o suspeito teria fugido para o município Baiano, onde usava o nome falso de Juarez. Paulo foi recambiado para Palmas, onde chegou no dia 11 de abril.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.