enem
enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para os candidatos privados de liberdade abriu nesta segunda, 3, o período de inscrições. Podem participar do exame estudantes das unidades prisionais e socioeducativas brasileiras. As inscrições serão feitas até o dia 21 de outubro pelos responsáveis pedagógicos das unidades de ensino no site do Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Com a nota do Enem, os estudantes privados de liberdade têm a chance de disputar vagas em universidades públicas privadas, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), e participar do Programa Universidade para Todos (Prouni). Porém, para cursar o ensino superior, os estudantes dependem de autorização judicial.

Na edição de 2015, foram inscritos 45,5 mil participantes que cumprem algum tipo de restrição de liberdade. Em relação a 2014, houve um aumento de 19% quando foram registradas 38,1 mil inscrições.

Provas

As provas do Enem para os candidatos privados de liberdade serão aplicadas nos dias 6 e 7 de dezembro seguindo os mesmos moldes do Enem regular. Os estudantes farão o exame dentro das unidades prisionais ou socioeducativas, a partir das 13h30.

No primeiro dia, os candidatos farão as provas de ciências humanas e ciências da natureza, com duração de 4 horas e 30 minutos. No segundo dia, responderão as avaliações das áreas de linguagens, matemática, além da prova de redação, com duração de 5 horas e 30 minutos.

Educação prisional

No Tocantins, a educação prisional é ofertada pelo Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) em parceria com a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju).

Em todo o Estado, mais de 2 mil pessoas privadas de liberdade e jovens em ressocialização são atendidas em 14 unidades de ensino regular, instaladas nas prisões e no sistema socioeducativo do Tocantins. Os estudantes têm acesso aos materiais didáticos, pedagógicos e alimentação escolar.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.