Conhecer e garantir novas oportunidades de financiamentos e parcerias para as ações de prevenção e combate ao desmatamento, avaliar os modelos de arcabouços de Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD+), são os principais assuntos que serão discutidos no encontro anual Reunião da Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF), que conta com a presença de representantes do Governo do Tocantins. A GCF segue até o próximo dia 15, na Califórnia (EUA), e a participação ocorre por meio meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh).

A reunião da GCF tem como missão servir como plataforma para colaboração e criação de novas parcerias com jurisdições europeias, setor privado, sociedade civil, povos indígenas e instituições financeiras, além de criar oportunidades de aprendizado sobre histórias subnacionais bem sucedidas e traçar caminhos futuros. A Reunião é um catalisador para unir iniciativas subnacionais em uma voz comum, em direção à COP 21 da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

O subsecretário da Semarh, Rubens Brito, informou que o Governo do Tocantins vai apresentar o escopo do Programa Jurisdicional de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação. “Está em fase de elaboração, mas com ele temos o reconhecimento internacional dos esforços para redução do desmatamento, com isso possibilita ao Estado receber recursos financeiros por deixar de emitir gases de efeito estufa na atmosfera”, afirmou.

O encontro, segundo Rubens Brito, é um cenário promissor para apresentar os atuais projetos realizados pelo Tocantins. “Estamos com a cadeia produtiva sustentável e podemos ampliar com a implantação do Projeto Campo Sustentável, umas das ações que serão apresentadas para obtermos financiamentos”, destacou o subsecretário, acrescentando que o objetivo é inserir programas, projetos e estudos relacionados ao desenho da Estratégia Estadual de Desenvolvimento Rural de Baixas Emissões (DRBE).

Política de REDD+

A política de REDD+ é um incentivo desenvolvido no âmbito das Nações Unidas sobre mudança do clima para recompensar financeiramente países em desenvolvimento por seus resultados no combate ao desmatamento e à degradação florestal e na promoção do aumento de cobertura florestal.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.