O revólver calibre 38 encontrado junto ao corpo de prefeito de Miracema, Moisés da Sercon (MDB), tinha a numeração raspada e tudo indica que ele não pertencia a vítima. A informação é da Polícia Civil, que aguarda laudos periciais para definir a linha de investigação a ser seguida no caso.

Até o momento nenhuma hipótese foi formalmente descartada, mas investigadores informaram à TV Anhanguera que as suspeitas de que se trate de um latrocínio ou de um suicídio parecem cada vez mais distantes. A posição do corpo no carro e objetos deixados no local são as principais pistas que indicam que Moisés foi assassinado.

De acordo com as mesmas fontes, a arma que estava no colo da vítima pode nem ter sido utilizado no crime.

Cerca de 10 testemunhas já foram ouvidas. Na manhã desta terça-feira (4) policiais militares fizeram uma visita de solidariedade à primeira-dama, que também é PM e atua na área da saúde. A família disse que espera por Justiça.

“A dor parece que aumenta mais ainda, porque a gente fica sem saber o que aconteceu. A gente quer respostas, seja o que for”, diz o irmão de Moisés, Fidel Costa.

Enquanto isso, a polícia também tenta identificar o autor de um áudio que circula nas redes sociais e sugere um crime passional envolvendo outros políticos da cidade. Compartilhar este tipo de conteúdo é crime, segundo a Polícia Civil.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.