A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Taguatinga, com apoio de policiais civis da 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Dianópolis e da Divisão de Repressão a Sequestros de Brasília, desvendou o crime de homicídio que vitimou o fazendeiro Antônio Lázaro Assalin, de 74 anos e prendeu os dois principais suspeitos pelo crime.

De acordo com o delegado, Márcio Teixeira Duarte, que comandou as investigações, o idoso foi morto a tiros, no dia 13 de agosto, após ser rendido em sua própria fazenda, localizada na zona rural de Taguatinga, por Valdinei Cordeiro da Silva, Vulgo “Nei”, preso em Brasilia –DF de posse dos cartões da vítima e Joanatan Francisco de Assunção, vulgo “Nego Bomba”, preso em Taguatinga – TO, de posse de uma motocicleta furtada. Joanatan confessou participação no crime e, inclusive indicou o local, onde o corpo estava.

Conforme o delegado Márcio Duarte, as investigações tiveram início, no dia 23 de agosto, após uma das filhas da vítima, informar que o pai estava desaparecido há mais de uma semana. De imediato, os policiais foram até a fazenda, onde o pecuarista residia, mas não encontraram sinais de arrombamento na casa, no entanto, havia uma pequena mancha de sangue próximo à porta.

Dando continuidade as investigações, no mesmo dia, familiares constataram movimentações no cartão bancário da vítima, sendo que esta nunca antes havia utilizado tal modalidade de crédito. Verificou-se então uma compra realizada em uma loja de eletrodomésticos, situada em Luís Eduardo Magalhães-BA.

De posse das informações, os policiais foram até a referida loja e obtiveram imagens que mostravam a pessoa, que tinha feito as compras de dois celulares, utilizando o cartão da vítima. A equipe da DP de Taguatinga identificou o suspeito, o qual já tinha sido preso diversas vezes pela prática dos mais variados crimes.

Além da compra no município baiano, havia também movimentações financeiras em Brasília. Em continuidade as investigações, os policiais civis descobriram que o fazendeiro, pecuarista em Taguatinga, havia acabado de receber R$ 20 mil reais, referente a uma parcela pela venda de 60 cabeças de gado.

Durante a investigação, a equipe da Polícia Civil descobriu que o suspeito Valdinei Cardoso da Silva esteve na cidade durante as festas das Cavalhadas, na companhia do outro suspeito; Joanatan Francisco Alves da Assunção, vulgo “Nego Bomba”, sendo este parceiro de crime de Valdinei.

Com o apoio da equipe da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC – Palmas), coordenada pelo delegado Wanderson Queiróz Chaves, os policiais constataram que um dos celulares já havia sido cadastrado em nome de Valdinei.

Com apoio da Divisão de Repressão a Sequestros da PC/DF (DRS), foi descoberto que uma das irmãs de Nego Bomba reside, na cidade do Recanto das Emas – DF, e que Valdinei estava escondido na casa da mulher. Os agentes também descobriram que o homem estava utilizando nomes falsos e que já havia em seu desfavor, um mandado de prisão expedido pelo TJ/TO.

Com Valdinei, os policiais civis localizaram e apreenderam a espingarda calibre 20, usada no crime, um revólver calibre 38, roubado do fazendeiro morto, vários cartões da vítima, além de RGs e CPFs, com nomes falso que Valdinei utilizava.

Com base nas informações levantadas, o delegado representou, junto ao Poder Judiciário pela prisão temporária de Valdinei, Joanatan, além de um terceiro envolvido no caso, pela busca e apreensão na casa situada no Recanto das Emas – DF e pela quebra do sigilo bancário da vítima. Sendo os pedido prontamente atendidos.

Na madrugada da última sexta-feira, 1, foi deflagrada a operação “Reencontro”, sendo que a equipe do delegado Márcio, com apoio da Divisão de Repressão a Sequestros de Brasília prendeu Valdinei, em Brasília, ao mesmo tempo, a equipe da 8ª DRPC, chefiada pelo delegado Afonso José Azevedo prendeu Nego Bomba, em uma residência em Taguatinga –TO.

Os policiais civis localizaram o corpo do Fazendeiro em uma grota, a cerca de um km de sua residência, logo após a prisão dos suspeitos pelo crime. As investigações da  PC/TO revelaram que Valdinei e Joanatan mataram Antônio Lázaro para roubar o dinheiro da venda das 60 cabeças de gado que eles imaginavam que a vítima estava de posse.

Joanatan e Valdinei foram indiciados pela pratica dos crimes de extorsão qualificada por morte, roubo por emprego de arma de fogo e concurso de agentes, falsificação de documento público e particular, além de ocultação de cadáver. Após os procedimentos legais cabíveis, os dois homens foram recolhidos à Cadeia Pública de Taguatinga – TO, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Para o delegado Márcio Teixeira Duarte, a elucidação do crime e a prisão dos suspeitos representa o comprometimento da Polícia Civil do Tocantins, na busca pela verdade e pela Justiça. “Nosso objetivo era encontrar a vítima com vida, embora isto não tenha sido possível, compete a nós esclarecermos os fatos e prender os autores desse crime bárbaro. Espero que de alguma maneira, isso possa trazer algum conforto aos familiares da vítima”, ressaltou.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.